Weintraub faz propaganda de escola cívico-militar e de deputado do PSL em vídeo – Congresso em Foco

Após publicar um vídeo em que fazia uma paródia a caráter do filme “Cantando na chuva” para dizer que chovia fake news, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, voltou a surpreender nesta quarta-feira (2) com a divulgação de um esquete em suas redes sociais. Agora, Weintraub tem a companhia do deputado Filipe Barros (PSL-PR). Em pouco mais de um minuto, o ministro faz propaganda não apenas do projeto de sua pasta para levar a todo o país as chamadas escolas cívico-militares como também do próprio deputado do partido do presidente Jair Bolsonaro. “Olha, com um parlamentar como o Filipe, o Paraná fica bonito na foto”, diz. A gravação foi feita no gabinete do ministro no MEC.

Veja o vídeo publicado no Twitter pelo ministro:

O vídeo sugere uma discussão entre os dois, que logo se revela apenas uma brincadeira para introduzir o assunto: “O que que é isso, Filipe?”, “esbraveja” Weintraub com os braços abertos. “Mas o que que é isso, ministro?”, devolve o deputado. “É a escola cívico-militar”, responde o chefe do MEC.

Ele conta que Filipe está em seu gabinete para levar esse modelo de escola para as cidades paranaenses de Londrina, Maringá e Cascavel. “Finalmente o Paraná vai ter escolas cívico-militares”, comemora o deputado. “Acredita que tem estado que não quis?”, indaga Weintraub.

Mas não tem problema, afirma ele, pois a “fila é grande” e “muita gente quer”. “Tenho uma proposta: os estados que não aderirem às escolas cívico-militares, a gente manda mais para o Paraná”, sugere o congressista. O ministro, então, cobre de elogios o jovem deputado paranaense, dizendo que com um parlamentar como ele, o Paraná “fica bonito na foto”.

O Congresso em Foco questionou o Ministério da Educação sobre a gravação. O texto será atualizado caso haja uma resposta.

> Ministro da Educação manda ofício com erros de português

“Chuva de fake news”

Em maio, pouco depois de ter assumido o ministério, Weintraub divulgou um vídeo que remetia ao ator e dançarino Gene Kelly e seu clássico filme “Cantando na chuva”, de 1952, que imortalizou a música de mesmo nome. “Para de chover aqui no MEC”, pede o ministro, ao final da gravação, depois de chamar de falsa a informação divulgada de que a pasta tinha reduzido de R$ 55 milhões para R$ 43 milhões o valor destinado às obras de reconstrução do Museu Nacional no Rio de Janeiro, destruído por um incêndio. Segundo ele, a responsabilidade pela redução foi da bancada fluminense no Congresso. Veja o vídeo:

Militares e valores éticos

O modelo das escolas cívico-militares, defendido pelo ministro e pelo deputado, chegará a 54 colégios de 15 estados e do Distrito Federal em 2020. Entre os dias 4 e 11 de outubro, as prefeituras deverão solicitar participação. Podem solicitar a participação também os municípios em estados que não aderiram ao programa.

“A gente quer colocar as primeiras escolas onde todo mundo está de acordo. A gente quer que o caso seja um sucesso muito grande. Então, o ideal é começar pelos estados que querem e pelos municípios que os prefeitos também querem”, diz Weintraub.

O ministério deve liberar, em 2020, R$ 54 milhões para as escolas que já aderiram ao programa. De acordo com o projeto, os militares atuarão como monitores, acompanhando os alunos e fazendo contato com as famílias. Conforme o MEC, eles exercerão atividades como supervisão escolar e psicopedagogia, preservando, as atribuições exclusivas dos docentes. A pasta afirma que os militares atuarão também no fortalecimento de valores éticos e morais e exercerão ainda funções administrativas para aprimorar a infraestrutura das escolas e a organização escolar.

> O que ninguém fala sobre a militarização nas escolas, por Thaynara Melo

> Lançamos nosso primeiro crowdfunding. Contribua para o jornalismo independente!

Continuar lendo em Congresso em Foco.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

regulamenta o contrato de desempenho, previsto no § 8º do art. 37 da Constituição Federal – Dizer o Direito

quinta-feira, 12 de dezembro de 2019 Olá, amigos do Dizer o Direito, Foi publicada hoje …