Ato diz não à extinção de comarcas e à interferência na contratação de advogados – OAB

Dirigentes do sistema OAB se reuniram, na tarde desta sexta-feira (11), para realização de um ato em repúdio ao fechamento de comarcas na região do sertão paraibano e às interferências do Ministério Público do Estado na contratação de advogadas e advogados por inexigibilidade de licitação. O ato foi realizado durante o III Encontro Nacional da Advocacia do Sertão, na cidade de Cajazeiras, e teve a participação de diversos dirigentes de subseções da região, além do vice-presidente da OAB Nacional, Luiz Viana; do presidente da OAB-PB, Paulo Maia; e da vice-presidente da OAB-RN, Rossana Fonseca.

“Queremos nesse ato, pedindo o apoio da OAB Nacional, da seccional irmã do Rio Grande do Norte e de todas as seccionais que estão aqui, dizer não à extinção das comarcas do Estado da Paraíba”, disse Maia. “Com todo o respeito ao Ministério Público, constitucionalmente reconhecido por seu papel de fiscal da lei, de tutor da liberdade e da ordem jurídica. Porém, entendemos que está havendo, por uma série de fatores aqui na Paraíba, um desvirtuamento das funções do Ministério Público, que está querendo gerir os municípios, impondo a contratação e a realização de concursos públicos sem saber da realidade orçamentária. Cria um empecilho e, sobretudo, diz para a sociedade que a contratação de advogados por inexigibilidade de licitação é crime, sem olhar o caso concreto”, acrescentou ele.

A iniciativa da OAB-PB recebeu o apoio imediato da OAB Nacional, manifestado pelo vice-presidente da Ordem. “O Conselho Federal está lado a lado com a OAB-PB para dizer não ao fechamento das comarcas. Houve exatamente o mesmo caso na Bahia e a OAB-BA acabou de conseguir com a OAB Nacional uma liminar do Conselho Nacional de Justiça para sustar o fechamento das comarcas”, disse Viana, que sugeriu que os colegas da Paraíba sigam o mesmo exemplo. “O Brasil vive uma quadra muito curiosa. A tentativa de criminalização da contratação segundo a lei. Queremos apenas que se cumpra a lei, que os advogados sejam contratados conforme a lei e que nossas prerrogativas sejam respeitadas conforme a lei. O Brasil está tão confuso que a legalidade passou a ser revolucionária. É uma contradição em si mesma. Por isso, contem conosco”, afirmou o vice-presidente.

A vice-presidente da OAB-RN lembrou que o problema da extinção das comarcas ocorreu também no Rio Grande do Norte. “Conte com o apoio da seccional do Rio Grande do Norte e falo aqui em nome de meu querido presidente Aldo Medeiros. Volto para Natal e levo a ele todo o brilho deste evento e tenho absoluta certeza de que ele encampará a luta da OAB-PB, não só quanto ao fechamento das comarcas, como também quanto à criminalização da advocacia e ao fato ‘ridículo’ de não se respeitar a lei e a utilização legal de contratação de advogados por inexigibilidade quando a própria lei assim autoriza”, disse ela.

Fonte Oficial: http://www.oab.org.br/noticia/57644/ato-diz-nao-a-extincao-de-comarcas-e-a-interferencia-na-contratacao-de-advogados.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Debate na OAB analisa principais julgamentos de processo civil no STF e no STJ em 2019 – OAB

A OAB Nacional sediou, nesta quarta-feira (4), um seminário para debater os aspectos dos principais …