Guias de depósitos judiciais já podem ser geradas no eproc – AASP

Desde ontem (9/10) os sistemas informatizados do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) e da Caixa Econômica Federal (CEF) estão integrados, e as guias de depósito judicial poderão ser geradas diretamente no eproc (Processo Judicial Eletrônico). Com a interoperabilidade, partes e advogados podem realizar o procedimento no mesmo ambiente digital onde tramita ação.

Para os servidores da Justiça Federal da 4ª Região, a integração promoverá um controle das guias emitidas pelos advogados e sua devida quitação e juntada ao processo automaticamente. A Justiça Federal receberá as informações de depósitos, bem como dos respectivos saldos de cada depósito realizado.

O projeto de integração foi lançado no tribunal em reunião realizada ontem. Ele foi desenvolvido por servidores das duas instituições e faz parte do Projeto Estratégico Regional dos Depósitos Judiciais, coordenado pelo desembargador federal Jorge Antônio Maurique, que também coordena o Sistema de Conciliação (Sistcon) da Justiça Federal da 4ª Região.

A interoperabilidade segue sendo expandida e o objetivo é que no futuro também possam ser gerados DOCs para depósito direto. Há previsão ainda de que até o final deste ano as informações de levantamento dos depósitos e demais movimentações da conta possam ser incluídas na movimentação processual.

Para 2020, serão desenvolvidas novas funcionalidades como o alvará eletrônico e os depósitos judiciais em relação às prestações pecuniárias penais e transações penais que ocorrem nos processos de execução penal.

Fonte: TRF-4ª

Fonte Oficial: AASP.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

TRT1 – Confira orientações sobre protocolo de classes processuais em segunda instância – AASP

O Comitê Gestor Regional do Processo Judicial Eletrônico (PJe) no âmbito do Tribunal Regional do …