Brasil não reconhece reeleição de Evo na Bolívia – Congresso em Foco

O Ministério das Relações Exteriores divulgou na noite desta sexta-feira (25) um informe no qual afirma não reconhecer “neste momento” a reeleição do presidente Evo Morales para seu quarto mandato.

> Acusações contra filhos e assessores de Bolsonaro dão combustível à CPI das Fake News, diz presidente da comissão

De acordo com a publicação, o Itamaraty levou em conta as tratativas entre a Organização dos Estados Americanos (OEA) e o governo boliviano para que haja uma auditoria do primeiro turno das eleições, para anunciar que não reconhecerá qualquer anúncio de resultado final, “neste momento”.

A Missão de Observação da OEA apontou problemas como a falta de segurança no armazenamento das urnas e a suspensão da apuração e defendeu a realização de segundo turno no país, devido à pouca diferença de votos entre os candidatos.

O pleito

As eleições presidenciais bolivianas ocorreram no último domingo (20), cercada de polêmicas. Durante a contagem de votos, que no país é feita de duas formas, um desses métodos foi interrompido, em um momento que indicava a possibilidade de um segundo turno.

Pela legislação eleitoral boliviana, para vencer no primeiro turno, é preciso conquistar mais de 40% dos votos com pelo menos 10% de diferença do segundo colocado. No momento em que uma das contagens parou, Evo Morales estava com 45% dos votos, enquanto seu principal oponente, Carlos Mesa, com 38%.

Quando a contagem foi retomada, a diferença entre Evo e Mesa havia aumentado para pouco mais de 10%, o que afastava a possibilidade de uma segunda votação. A mudança no cenário, no entanto, provocou reações da oposição, que acusou o governo de fraude. Com o resultado, manifestantes também tomaram as ruas do país pedindo uma nova eleição.

Segundo o coordenador do Departamento de Observação Eleitoral, Gerardo de Icaza, por causa das falhas, a credibilidade da Justiça Eleitoral no país estaria em dúvida e, por isso, mesmo que alcançada a diferença de 10%, deveria ser assegurado o segundo turno.

*Com informações da Agência Brasil

> Alexandre Frota será o primeiro a depor na CPI das Fake News

Continuar lendo em Congresso em Foco.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Confira o calendário de feriados e recessos de 2020 no âmbito do TRT da 2ª Região – AASP

As Portarias GP nº 60/2019 e GP nº 61/2019, publicadas no último dia 29 no …