Julgamento nesta semana pode anular sentença de Lula no caso do sítio de Atibaia – Congresso em Foco

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) deve analisar nesta quarta-feira (30) uma questão de ordem que pode anular a sentença em primeira instância que condenou o ex-presidente Lula a 12 anos e 11 meses de prisão, por corrupção e lavagem de dinheiro, no caso do sítio de Atibaia.

> STF caminha para derrubar prisão em segunda instância, afirma advogado

O debate foi motivado pela decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que reconheceu no começo de outubro que os réus delatados têm direito a se pronunciar depois dos réus delatores. O alcance dessa decisão, no entanto, ainda não foi definido pelos ministros da Corte, que discutem definir uma tese moduladora para diminuir os efeitos práticos do julgamento.

A data do julgamento da questão de ordem foi mantida, mesmo após um pedido de adiamento feito pela defesa de Lula. O relator do caso, desembargador João Pedro Gebran Neto, defendeu que a inclusão em pauta da questão de ordem não tem conteúdo decisório e não pode ser questionada.

Na quinta-feira passada (24), o Ministério Público Federal (MPF) se pronunciou favorável à anulação da sentença de Lula e defendeu que o caso retornasse à primeira instância.

Caso a sentença de Lula seja anulada, o processo retorna à primeira instância para que o procedimento de entrega de alegações finais, ou seja, a entrega dos últimos argumentos a favor dos réus, seja refeito. Depois caberá ao novo juiz da Lava Jato, Luiz Antonio Bonat, proferir uma nova sentença.

> Se for solto pelo STF, Lula sairá em caravana pelo Brasil de olho em 2022, diz site

Continuar lendo em Congresso em Foco.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

MDB virou fiador da corrupção, diz Simone Tebt – Congresso em Foco

A senadora Simone Tebet (MDB-MS) é filha do senador Ramez Tebet, que presidiu o Senado …