Veja quem assinou o pedido de CPI do Vazamento de Óleo – Congresso em Foco

Autor do requerimento que pede a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a origem e os impactos do óleo que há quase dois meses mancha as praias do Nordeste, o deputado João Campos (PSB-PE) se reúne nesta terça-feira (29) com Rodrigo Maia (DEM-RJ) para discutir os próximos passos da chamada CPI do Vazamento de Óleo. A expectativa é que o presidente da Câmara se sensibilize com o assunto e instale a CPI. Afinal, a proposta tem apoio até de deputados da base do governo como Carla Zambelli (PSL-SP). Veja abaixo todos que assinaram o pedido de CPI.

> Governo violou instruções de manual que trata sobre poluição por óleo

Apresentado na semana passada, o requerimento da CPI do Vazamento do Óleo teve 267 assinaturas validadas pela Mesa da Câmara. Deputados de todos os 25 partidos que têm representação na Câmara assinaram o documento apresentado por João Campos. Do PSL, o partido do presidente Jair Bolsonaro, por exemplo, há quatro representantes: Carla Zambelli, Luiz Lima (RJ), Felício Laterça (RJ) e Nereu Crispim (RS) – os dois primeiros são aliados de Bolsonaro e os outros dois são da ala do PSL que é alinhada ao presidente nacional do partido, o deputado Luciano Bivar (PE).

Entre os principais nomes pró-Bolsonaro na Câmara, Carla Zambelli diz não ter nada contra a abertura da CPI porque acredita que o trabalho de investigação da comissão não será prejudicial ao governo. “Pelo contrário, nada ali foi culpa do governo”, disse.

“Todo mundo está sensibilizado porque este é um problema muito maior que o governo”, justificou João Campos, que também tem recebido apoio dos líderes da oposição e do centrão, de ambientalistas e de artistas para abrir a CPI do Vazamento do Óleo. Filho de Eduardo Campos, o deputado pernambucano argumenta que este é o maior desastre ambiental da história brasileira e acredita que, por isso, o Congresso tem a responsabilidade de avaliar a origem e punir os responsáveis pelas manchas de óleo, analisar o trabalho de contenção do governo, propor ações de mitigação e sugerir medidas que evitem novos desastres desse tipo.

“O problema é gigante e está muito claro que o estado brasileiro se mostrou incapaz de mitigar isso com eficiência. Então, que o Parlamento produza a inovação necessária para a mitigação. Precisamos criar um ambiente de discussão para discutir se temos que fortalecer os comitês permanentes, rever o plano nacional de contingência, mudar atribuições, fortalecer agências”, defende João, que diz já ter tido uma boa conversa sobre o assunto com Rodrigo Maia e espera avançar com o assunto nesta terça-feira já que, como pediu Maia, as assinaturas necessárias ao pedido de CPI já foram apresentadas e validadas pela Câmara.

Veja aqui os 267 deputados que assinaram o pedido de CPI do Vazamento do Óleo

Continuar lendo em Congresso em Foco.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

CCJ da Câmara adia votação da prisão em segunda instância – Congresso em Foco

Deputada Caroline Detoni (PSL-SC) A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) …