Gleisi Hoffmann cobra manifestação de Toffoli sobre fala de Eduardo – Congresso em Foco

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, classificou ao Congresso em Foco como crime contra a Constituição a fala do líder do PSL na Câmara dos Deputados, Eduardo Bolsonaro (SP), de que se a a “esquerda radicalizar” será posto em prática o regime de restrições democráticas vivenciado na Ditadura Militar conhecido como Ato Institucional número 5.

A petista cobrou manifestação do presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, sobre o assunto.

“É criminosa contra a Constituição. Ele é filho do presidente. Já fez um discurso neste sentido é agora escancara a posição. Isso é atentado à democracia. Mais do que a oposição, precisamos da manifestação firme dos presidentes da Câmara, Senado e STF contra essa manifestação criminosa. É preciso garantir a democracia que estamos construindo no Brasil”, disse a deputada federal pelo PT do Paraná.

O site também ouviu outros representantes da oposição. Também já se manifestaram contra a fala de Eduardo o MDB, DEM, PSDB e a ala do PSL ligada ao presidente do partido, Luciano Bivar.

O  terceiro filho do presidente Jair Bolsonaro fez o comentário durante entrevista para a apresentadora Leda Nagle.

“Vai chegar um momento em que a situação vai ser igual a do final dos anos 60 no Brasil, quando sequestravam aeronaves, quando executavam-se e sequestravam-se grandes autoridades, cônsules, embaixadores, execução de policiais, de militares. Se a esquerda radicalizar a esse ponto, a gente via precisar ter uma resposta. E a resposta, ela pode ser via um novo AI-5, via uma legislação aprovada através de um plebiscito, como aconteceu na Itália. Alguma resposta vai ter que ser dada”, defendeu.

O ex-ministro da Justiça no governo de Dilma de Rousseff (PT) José Eduardo Cardozo disse se preocupar com o teor da fala de Eduardo. “Acho extremamente preocupante, por vir de um parlamentar que jurou obediência à Constituição e de um filho muito próximo do presidente da república”, falou.

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, afirmou que o presidente Jair Bolsonaro não teria coragem de implantar um golpe de estado e acabar com o processo democrático no país, mas afirmou que a declaração de Eduardo é “a cabeça política de quem sempre adulou e adora a Ditadura”.

O dirigente do PSB, Carlos Siqueira, vê com preocupação a fala do líder do PSL. “Para mim apenas confirma as intenções inegavelmente autoritárias do governo Bolsonaro. Portanto, é extremamente preocupante para todos os defensores da democracia”, declarou.

> Eduardo Bolsonaro acena com a volta de ditadura se Brasil repetir o Chile

Catarse

Continuar lendo em Congresso em Foco.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Vocalista da Pussy Riot veste blusa de Marielle e critica Bolsonaro e Putin – Congresso em Foco

A banda feminista russa Pussy Riot se apresentou na noite de quarta-feira (13) em Brasília …