Caravana das Prerrogativas chega à OAB-RJ destacando importância de atuação em rede – OAB

Evento itinerante realizado pelo Conselho Federal por meio
da Comissão Nacional de Defesa das Prerrogativas e Valorização da Advocacia e
pela Procuradoria Nacional de Defesa das Prerrogativas, a Caravana das
Prerrogativas chegou à seccional do Rio de Janeiro, nesta quarta-feira (6).

O evento reuniu os principais agentes e delegados do grupo de
prerrogativas que atua em cada unidade da Ordem. Foram realizados debates sobre
a perspectiva de criminalização das violações de prerrogativas, conquista
trazida pela Lei de Abuso de Autoridade, e a importância da atuação integrada
do sistema OAB, das subseções ao Conselho Federal, em torno da militância pelos
direitos profissionais da advocacia.

No painel estiveram o presidente da Comissão Nacional de
Defesa das Prerrogativas e Valorização da Advocacia, Alexandre Ogusuku; o
procurador nacional de Prerrogativas, Bruno Cândido; o presidente da OAB-RJ,
Luciano Bandeira; o tesoureiro da seccional e presidente da Comissão de
Prerrogativas, Marcello Oliveira; o diretor de Valorização da Advocacia da OAB-RJ
e presidente da Comissão de Celeridade Processual, Paulo Grossi; a presidente
da OAB Mulher e diretora de Mulheres da seccional, Marisa Gaudio; e a vice da
OAB Mulher, Rebeca Servaes. 

Para Luciano, é muito importante para o Rio de Janeiro esse
apoio do Conselho Federal e listou alguns dos focos de sua gestão: atuação para
facilitar o acesso a delegacias da Polícia Militar; tentativa de abertura de
processos administrativos do poder público à participação da advocacia e a
capacitação da classe por meio da Escola de Prerrogativas.

Ogusuku disse que a Ordem vem atuando no Conselho Nacional
de Justiça para que o advogado seja incluído nos casos que chegam ao Centro
Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc), unidade do Poder
Judiciário especializada em atendimento ao público para a solução consensual de
conflitos e orientação nas matérias relativas à cidadania. “O maior problema
que emerge das edições da caravana nos estados e no Distrito Federal é a estrutura
do Poder Judiciário. São indignas as estruturas de fóruns e delegacias. A falta
de pessoal é chocante neste país”, pontuou.

Marisa falou sobre a criação da Diretoria de Mulheres,
iniciativa pioneira da seccional do Rio, e da atuação enérgica que o grupo teve
no caso da juíza de Iguaba Grande que submeteu o acesso de advogadas ao fórum
local ao tamanho de suas saias. “Temos que ter noção de quanto nossas
prerrogativas são violadas por causa do gênero”, alertou.

Para Grossi, é imperioso que a consciência a respeito das
prerrogativas extrapole os advogados que orbitam a Ordem e chegue à sociedade.
Ressaltou também que o descumprimento da razoável duração do processo é, por
analogia, uma violação de prerrogativas, embora não conste do Estatuto da
Advocacia.

Com informações OAB-RJ

 

 

Fonte Oficial: http://www.oab.org.br/noticia/57724/caravana-das-prerrogativas-chega-a-oab-rj-destacando-importancia-de-atuacao-em-rede.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Ministro esclarece que liminares não impedem andamento de processos na Justiça do Trabalho – OAB

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), esclareceu, nesta quinta-feira (2), que as …