Lula vai a vigília e ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, diz Gleisi – Congresso em Foco

A presidente nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), afirmou nesta sexta-feira (8) que o ex-presidente Lula vai para o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Paulo, assim que for solto em Curitiba. Antes, porém, pretende se encontrar com os participantes da vigília feita por ele na capital paranaense.

“Depois de conversar com Lula, estamos aguardando o alvará de soltura do ex-presidente. Depois de visitar a vigília, ele irá para o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, vai voltar à vida pública de onde começou”, afirmou Gleisi, pelo Twitter. O sindicato também foi palco do último discurso público de Lula antes de sua prisão, em 7 de abril de 2018.

A deputada também defendeu que petistas e outros defensores do ex-presidente não caiam em provocações para não acirrar o confronto com os seus adversários políticos. “Vamos seguir tranquilos, como está o presidente e evitar as provocações que podem vir do clima de ódio e do extremismo da direita para não estragarmos este momento de alegria. Seguimos nessa caminhada pela liberdade plena de Lula com a anulação das sentenças injustas contra ele”, disse.

> Maia e Alcolumbre são os principais obstáculos à prisão em 2ª instância

O último discurso de Lula antes da prisão:

O advogado Cristiano Zanin Martins, que defende Lula, entrou com um pedido na Justiça pela libertação imediata do petista. Segundo Zanin, não há nenhum respaldo jurídico para manter o ex-presidente preso por uma “hora sequer”. “Jamais houve esse respaldo e, agora sobretudo, após o julgamento de ontem da Suprema Corte, não existe nada que possa mantê-lo encarcerado”, explicou.

Ontem, após quatro dias de julgamento, o Supremo decidiu  contra a prisão em segunda instância, o que beneficia condenados da operação Lava Jato, como o ex-presidente, que pode sair da prisão a qualquer momento.

Nesta manhã, Zanin visitou Lula em Curitiba. “Agora iremos conversar com a doutora Carolina Lebbos que deverá analisar o pedido de acabamos de fazer”, explicou, citando a juíza responsável pelo caso.

De acordo com ele, a defesa espera que o alvará de soltura seja expedido “de imediato”. “A decisão da Suprema Corte confirma o que sempre dissemos: não havia a possibilidade de execução antecipada da pena. O ex-presidente está aqui a 580 dias, contrariamente àquilo que dispõe a nossa lei”, disse.

Continuar lendo em Congresso em Foco.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Haddad acompanha Lula em ato político no Recife no domingo – Congresso em Foco

A presidente do PC do B e governadora interina de Pernambuco, Luciana Santos, recepcionará Lula …