Presidente da CCJ diz que Congresso só aprova segunda instância em 2020 – Congresso em Foco

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, Felipe Francischini (PSL-PR), acredita que em fevereiro de 2020 Câmara e Senado terminam de votar a proposta de emenda constitucional que restabelece a prisão em segunda instância.

“No Congresso é difícil por causa dos prazos regimentais. Acredito que a aprovação final ficaria para fevereiro”, adiantou o deputado ao Congresso em Foco.

> Maia e Alcolumbre são os principais obstáculos à prisão em 2ª instância

O relatório da deputada Caroline de Toni (PSL-SC) sobre o tema está pautado para votação nesta segunda-feira (11) na CCJ. No entanto, o próprio presidente da comissão não espera que seja votado nesta segunda. “Quórum baixo, amanhã é mais certo”.

Decisão do Supremo Tribunal Federal da última quinta-feira (7) proibiu a prisão quando ainda há possibilidade de recurso. Com a decisão, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi solto.

É esse entendimento que alguns deputados e senadores querem reverter. Na CCJ do Senado também tramita outra PEC, de autoria do senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR), relatado pela senadora Selma Arruda (Podemos-MT).

Mesmo que o Congresso aprove, o tema ainda pode ser alvo de questionamento no Supremo. Vários pesquisadores do Poder Judiciário e até ministros do Supremo questionam a possibilidade de se alterar a Constituição para permitir a prisão em segunda instância. Eles entendem que o assunto é cláusula pétrea.

> Lula é autorizado a sair da prisão

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!









Continuar lendo em Congresso em Foco.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Dilma cobra explicações de Villas Bôas sobre “estado de defesa” – Congresso em Foco

Comandante do Exército nos governos Dilma e Temer, o general Villas Bôas disse, em entrevista …