Flávio diz que coleta de assinaturas do Aliança pelo Brasil começa dia 21 – Congresso em Foco

O senador Flávio Bolsonaro (RJ) disse neste sábado (16) que o processo de coleta de assinaturas para criar o partido Aliança pelo Brasil começa na próxima quinta-feira (21). A data é no mesmo dia que será feita a primeira convenção nacional da legenda ainda não criada.

“Precisaremos de 491 mil assinaturas para criar o Aliança pelo Brasil e, em apenas 4 dias, já somos mais de 640 mil ALIADOS nas três redes sociais. A partir do dia 21/Novembro vamos iniciar a coleta das assinaturas”, disse o filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro no Instagram.

> Marcado por Queiroz, Flávio submerge na articulação política

> Bolsonaro decide sair do PSL e fundar novo partido

O primeiro encontro do partido em formação Aliança pelo Brasil será transmitido ao vivo pelas redes sociais. O evento acontece na próxima quinta-feira (21) e escolherá os membros da Executiva Nacional do grupo. O presidente da República Jair Bolsonaro fará discurso na ocasião.

A nova sigla deve ser comandada pelo presidente e ter como membros da executiva os seus filhos Flávio e Eduardo Bolsonaro.

O mandatário da República elabora uma lista de pessoas que vão organizar a formação da sigla nos estados. Até este momento, o único nome divulgado foi o do líder do governo na Câmara dos Deputados, Major Vítor Hugo (PSL-GO), que é responsável por angariar apoio em Goiás.

Na terça-feira (12), Jair e Flávio Bolsonaro anunciaram que pediram desfiliação do PSL. Como o mandato deles não pertence ao partido, como é na Câmara, eles não precisam esperar janela para mudar de sigla.

Para não serem expulsos por infidelidade partidária, os deputados aliados de Bolsonaro no PSL continuarão no partido até a oficialização da nova sigla. Uma das possibilidades previstas para o congressista eleito em um pleito proporcional não perder o mandato é se filiar a uma legenda recém-criada.

Para se criar um partido no Brasil é necessário reunir cerca de 500 mil assinaturas. O prazo é curto para o lançamento de candidaturas municipais em 2020. A nova sigla precisará estar pronta até março do ano que vem para poder lançar candidatos a prefeito e vereador em outubro. A equipe de Bolsonaro pretende usar o Whatsapp para reunir o apoio exigido. Mas o uso do instrumento não é seguro juridicamente e as assinaturas podem ser invalidadas.

> Quem são os deputados que devem ir com Bolsonaro para o novo partido

Campanha do Congresso em Foco no Catarse

Continuar lendo em Congresso em Foco.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Dilma cobra explicações de Villas Bôas sobre “estado de defesa” – Congresso em Foco

Comandante do Exército nos governos Dilma e Temer, o general Villas Bôas disse, em entrevista …