Correição geral do juízo de Vitória é aprovada pelo conselho da magistratura – AASP

Foram correicionadas 60 unidades do Juízo de Vitória, e direção do foro, e examinados mais de 3 mil processos. O trabalho resultou numa análise minuciosa de cada unidade judiciária.

O Conselho da Magistratura do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES) aprovou, em sessão realizada nesta segunda-feira (02), a Correição Geral Ordinária, realizada pela Corregedoria Geral da Justiça (CGJ-ES) nas 60 unidades do Juízo de Vitória e direção do foro, quando foram examinados mais de 3 mil processos, que resultaram numa análise minuciosa de cada unidade judiciária.

O corregedor geral da Justiça, desembargador Samuel Meira Brasil Júnior, explicou que todas as unidades do Juízo de Vitória foram correicionadas e os processos examinados tiveram providências determinadas, sendo que cada processo foi mencionado no relatório de sua unidade, com informações sobre o estado, a situação e as providências adotadas ou a serem adotadas pelos magistrados.

O presidente do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES), desembargador Sérgio Luiz Teixeira Gama, elogiou o desembargador Samuel Meira Brasil Júnior e sua equipe pelo extraordinário e louvável trabalho desenvolvido, cujo relatório trouxe dados como gráficos de produtividade de processos conclusos, produtividade do magistrado e de desempenho da Vara.

O relatório apresenta, também, a análise de cada unidade e processo, com força de trabalho, quantidade de processos, evolução do acervo e quantitativo de casos baixados por Varas Cíveis, Varas Criminais e demais Varas.

O trabalho foi feito por uma equipe de quatro juízes corregedores e quatro assessores, que trabalharam incessantemente e concluíram o relatório em pouco mais de quatro semanas, contou o desembargador Samuel Meira Brasil Júnior. “Eu ficaria muito feliz em submeter o nome dos magistrados e servidores para que fosse feito o elogio em suas fichas funcionais, porque o trabalho foi hercúleo e extraordinário, então com essas palavras, presidente, eu submeto o relatório à aprovação do Conselho”, complementou o corregedor geral da Justiça.

O presidente do TJES e os desembargadores Ney Batista Coutinho, Telêmaco Antunes de Abreu Filho e Eliana Junqueira Munhós Ferreira, membros do Conselho da Magistratura, parabenizaram o desembargador Samuel Meira Brasil Júnior pelo trabalho desenvolvido à frente da Corregedoria Geral da Justiça durante o biênio 2018/2019, e aprovaram à unanimidade o relatório final da correição do Juízo de Vitória e o registro do elogio aos magistrados e servidores em ficha funcional.

“Eu nunca vi um relatório de correição com tanto detalhamento e que possibilita verificar qual a produtividade dos magistrados, em face, inclusive às unidades congêneres. Parabéns! O aprimoramento que Vossa Excelência trouxe para esse trabalho e para a visualização, muito fácil, desse relatório, merece registro e por certo ficará para sempre na Corregedoria, porque os próximos, com certeza, não retrocederão, irão à frente”, destacou a desembargadora Eliana Junqueira Munhós Ferreira.

Correição

De acordo com o Código de Normas da Corregedoria Geral da Justiça do Espírito Santo (CGJ-ES), a correição ordinária é a atividade orientadora, fiscalizadora e disciplinadora que o corregedor geral da Justiça exerce sobre os serviços do foro judicial e extrajudicial. Os procedimentos podem ser realizados na modalidade física ou virtual.

O resultado da correição fica registrado em ata e relatório e as instruções são encaminhadas ao juiz da unidade para o devido cumprimento. O relatório final da correição também passa pela aprovação do Conselho da Magistratura do Poder Judiciário Estadual.

Vitória, 02 de dezembro de 2019

Informações à Imprensa:

Assessoria de Imprensa e Comunicação Social do TJES
Texto: Elza Silva | elcrsilva@tjes.jus.br

Andréa Resende
Assessora de Comunicação do TJES

imprensa@tjes.jus.br
www.tjes.jus.br

Fonte Oficial: AASP.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Judiciário vai funcionar em regime de plantão durante o recesso forense, que começa dia 20 – AASP

De 20 de dezembro a 06 de janeiro serão atendidas somente situações emergenciais na forma …