CNJ altera para junho de 2020 conclusão de implantação do SEEU

O Conselho Nacional de Justiça alterou nesta terça-feira (17/12) a Resolução n. 280/2019, que trata do processamento da execução penal nos tribunais brasileiros por meio do Sistema Eletrônico de Execução Unificado (SEEU). O prazo para que o SEEU seja o sistema padrão em todos os tribunais brasileiros foi estendido para 30 de junho de 2020. A decisão considerou a necessidade de garantir o progresso da implantação do sistema em todo o território nacional sem sobressaltos. O sistema já está presente em 25 tribunais de Justiça e quatro tribunais regionais federais. As alterações constam da Resolução CNJ n. 304/2019.

Inicialmente previsto para 31 de dezembro de 2019, o prazo final para que os tribunais passem a tramitar todos os processos de execução penal no SEEU foi alterado, pois não foi possível concluir o processo de implantação em todas as varas. Para atender, assim, ao imperativo da continuidade da prestação jurisdicional em tribunais com volume considerável de processos, o CNJ estendeu o prazo para conclusão da plena migração de todos os processos para o SEEU. A nova data poderá ser alterada mediante resolução conjunta das Presidências do CNJ e do tribunal em questão.

Outra alteração foi feita no art. 9º da Resolução CNJ n. 280/2019. Ela passa a prever a possibilidade, a critério dos órgãos da Justiça, de manter os sistemas locais exclusivamente em relação aos atores externos ao Poder Judiciário, conforme o modelo nacional de interoperabilidade previsto na Resolução Conjunta CNJ/CNMP nº 03/2013. Além disso, a data para implantação, pelos tribunais, das centrais de atendimento a usuários também foi alterada, para 30 de junho de 2020 (art. 12).

Passa a ficar a cargo da Presidência do CNJ a elaboração de cronograma de implantação nacional do SEEU, “em articulação com as presidências dos tribunais, as respectivas unidades de tecnologia da informação e os Grupos de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário – GMFs locais”, segundo a alteração aprovada nesta terça (art. 13).

Na Exposição de Motivos apresentada ao Plenário, o presidente do Conselho, ministro Dias Toffoli, afirma que, desde o início da atual gestão, o CNJ não tem poupado esforços para a implementação do SEEU em todo o território nacional. “Um processo complexo e que demanda construção particular tribunal a tribunal, com escopo de garantir a qualidade da ferramenta e alcançar a estabilidade da prestação jurisdicional, em meio a um procedimento arrojado de incorporação de sistema inexistente ou a migração para a nova plataforma eletrônica”, diz.

“O processo caminhou, diante desses desafios, buscando oferecer soluções customizadas a cada realidade. Não só suporte técnico operacional, mas, sobretudo, capacitação foram os produtos que o CNJ levou a cada um dos tribunais ao longo do ano. Os resultados, até o presente momento, foram alvissareiros: mais de 1 milhão de processos foram implantados e estão tramitando regularmente em 25 Tribunais de Justiça e quatro Tribunais Regionais Federais”, completou.

Iuri Torres
Agência CNJ de Notícias

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/cnj-altera-para-junho-de-2020-conclusao-de-implantacao-do-seeu/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=cnj-altera-para-junho-de-2020-conclusao-de-implantacao-do-seeu.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Observatório Nacional se reúne semanalmente para debater temas de grande repercussão

Instituído pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), …