Presidente destaca eficiência, transparência e responsabilidade do STF e do CNJ ao apresentar resultados do ano – STF

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Dias Toffoli, destacou, na apresentação do Balanço 2019, nesta terça-feira, pontos de sua gestão que têm como principal diretriz a eficiência, a transparência e a responsabilidade.  “Desde o início, eu e o vice-presidente, ministro Luiz Fux, adotamos esse tripé para uma prestação jurisdicional de excelência”, disse Dias Toffoli. Entre os destaques do ano de 2019, ele apontou a diminuição do acervo processual do STF, a votação de temas polêmicos e de grande impacto social, político, econômico e cultural e a previsibilidade da pauta.

A respeito do acervo, o presidente lembrou que o número teve uma redução de 20,7% em relação a 2018, chegando a 30,6 mil processos em tramitação. “A ampliação do Plenário Virtual foi importante para a maior eficiência e para a diminuição do acervo", assinalou. "Foram julgados 204 processos no mérito em sessões virtuais, disponibilizando os votos dos ministros em tempo real no portal do STF, com a devida transparência”.

No âmbito da Presidência, segundo o ministro, o fortalecimento da gestão da repercussão geral e da análise dos recursos manifestamente incabíveis evitou a distribuição aos ministros de 70% dos recursos recebidos no Tribunal. “A intenção é chegar a 100%, para permitir que os ministros se dediquem apenas à análise de questões constitucionais de maior relevância e complexidade, reforçando a vocação constitucional do Supremo”.

Pauta 2020

Toffoli enfatizou a importância da previsibilidade da pauta, oferecendo mais tempo de preparação para os julgamentos, bem como a análise de assuntos controversos. “Enquanto não são julgados, fica a pendência e a incerteza. Colocá-los em pauta e defini-los traz segurança jurídica e pacificação social. E veja que chegamos ao fim do ano com a sociedade mais tranquila perto do que quando iniciamos”, ponderou.

Entre os principais temas da pauta do plenário previstas para o primeiro semestre 2020 estão a execução provisória de condenados pelo Tribunal do Júri, o tabelamento do frete no transporte rodoviário de cargas, a cessão de direito de exploração, produção de petróleo e gás natural e a concessão de medicamentos não relacionados no programa de distribuição de medicamentos para portadores de doenças crônicas.

CNJ

O presidente salientou a redução do número de processos judiciais pendentes em todo o país, indicada pela primeira vez em 15 anos de apuração contínua do CNJ. Também destacou a relevância da instituição do Observatório Nacional sobre Questões Ambientais, Econômicas e Sociais de Alta Complexidade, Grande Impacto e Repercussão e do Sistema Nacional de Adoção e Acolhimento, além dos resultados do Programa Justiça pela Paz em Casa.

“Os nossos maiores objetivos são a efetividade dos direitos do cidadão, a intangibilidade do Estado Democrático de Direito, a segurança jurídica e a paz social. Seguiremos fazendo isso com o devido diálogo com os demais Poderes da República, com as instituições essenciais à Justiça e com a sociedade”, concluiu Dias Toffoli.

(Com informações da Assessoria de Comunicação da Presidência)

Fonte Oficial: http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=432943.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Programação da Rádio Justiça para segunda-feira (30) – STF

Revista Justiça O programa de segunda-feira volta a falar da pandemia do novo coronavírus. O …