Luciano Frota é homenageado pela dedicação ao CNJ

A primeira sessão plenária de 2020 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), realizada na terça-feira (4), teve um momento de homenagem ao conselheiro Luciano Frota. O juiz do Trabalho termina seu mandato no CNJ nesta quinta-feira (6). “O conselheiro contribuiu de forma inestimável para o avanço da Justiça brasileira”, enfatizou o presidente do CNJ, ministro Dias Toffoli.

Toffoli elencou diversas resoluções e normativos que tiveram a participação de Luciano Frota, como a resolução que trata do uso do nome social nos serviços judiciais, a inclusão do tema do trabalho escravo nos cursos de formação de magistrados da Justiça Trabalhista e a parceria com a Organização das Nações Unidas (ONU) para acolhimento dos imigrantes venezuelanos.

Cearense e titular da 3ª Vara do Trabalho de Brasília desde 2006, Frota tomou posse no CNJ em fevereiro de 2018. Ele formou em Direito pela Universidade Federal do Ceará em 1990 e foi bancário e advogado antes se tornar juiz, em 1993. O magistrado foi professor de Direito do Trabalho do Centro Universitário de Brasília (Uniceub) de 2001 a 2002 e atuou como professor de Direito do Trabalho em cursos de pós-graduação lato sensu promovidos pelo IESB, também de Brasília.

“Encerro mais um ciclo na minha carreira e um ciclo no CNJ. Foi uma experiência muito rica no qual tive a oportunidade de conhecer de dentro o ‘todo’ ao qual eu, como magistrado, faço parte”, agradeceu durante a sessão.

Substituição

A juíza Flávia Moreira Guimarães Pessoa, da 4ª Vara do Trabalho de Aracaju, ocupará a vaga deixada por Luciano Frota. O nome foi indicado pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST), que tem a incumbência de indicar um juiz de primeiro grau da Justiça do Trabalho para composição do CNJ.

Paula Andrade
Agência CNJ de Notícias

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/conselheiro-luciano-frota-e-homenageado-pela-dedicacao-ao-cnj/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=conselheiro-luciano-frota-e-homenageado-pela-dedicacao-ao-cnj.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

GMF aprova recomendação em caso de violação de tornozeleira

O Planejamento Estratégico para o ano de 2020 do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do …