TRTs que migraram todos os processos físicos para o sistema eletrônico recebem Selo 100% PJe

document.write(‘‘); !function(d,s,id){var js,fjs=d.getElementsByTagName(s)[0];if(!d.getElementById(id)){js=d.createElement(s);js.id=id;js.src=”http://platform.twitter.com/widgets.js”;fjs.parentNode.insertBefore(js,fjs);}}(document,”script”,”twitter-wjs”);



Nas Varas do Trabalho e nos TRTs, 97% dos processos tramitam no PJe.

06/02/20 – O presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), ministro Brito Pereira, e o corregedor-geral da Justiça do Trabalho, ministro Lelio Bentes Corrêa, entregaram, nesta quarta-feira (5), o Selo 100% PJe a 13 Tribunais Regionais do Trabalho (TRTs) que conseguiram migrar a totalidade dos autos físicos em tramitação nas suas unidades judiciárias para o sistema do Processo Judicial Eletrônico (PJe).

A solenidade foi realizada durante a primeira reunião do Colégio de Presidentes e Corregedores de Tribunais Regionais do Trabalho (Coleprecor). O ministro-presidente relembrou o esforço da Justiça do Trabalho, desde a adesão ao PJe em 2010 até a migração atual dos processos físicos para os processos digitais, e destacou a implantação do sistema no TST nesses dois últimos anos. “A Justiça do Trabalho está alinhada ao PJe e à informatização. Temos muito orgulho dos resultados já alcançados”, afirmou.

Selo

A premiação foi criada pela Corregedoria-Geral da Justiça do Trabalho para incentivar os TRTs a migrarem rapidamente os autos físicos para o Sistema PJe, buscando a melhora da prestação jurisdicional. Até o momento, 97% da totalidade de processos físicos existentes em toda a Justiça do Trabalho migraram para o sistema, e cerca de 150 mil ainda devem tramitar pelo novo sistema.

“Este resultado justifica nosso investimento no PJe e favorece a agilidade de tramitação, o controle e a gestão processual”, afirmou o corregedor-geral da Justiça do Trabalho, ministro Lélio Bentes. “Somos o ramo mais informatizado do Poder Judiciário brasileiro”, frisou.

Segundo o corregedor-geral, em 21 meses (de março de 2018 a dezembro de 2019), a Justiça do Trabalho, em um “esforço concentrado e altamente elogiável”, migrou cerca de 1,3 milhão de processos, feito que comprova a grande qualidade de magistrados e servidores presentes nos quadros da Justiça do Trabalho. Ele destacou ainda o pioneirismo na migração total alcançada pelo TRT da 7ª Região (CE) em agosto de 2019 e o esforço desempenhado pelo TRT da 2ª Região (SP), que, entre novembro e dezembro de 2019, aumentou em 30% a migração dos processos, ficando bem próximo da totalidade.

Foram agraciados, por ordem de conclusão de migração dos processos, os TRTs da 7ª Região (CE), 16ª Região (MA), 6ª Região (PE), 11ª Região (AM/RR), 20ª Região (SE), 4ª Região (RS), 13ª Região (PB), 14ª Região (AC/RO), 17ª Região (ES), 18ª Região (GO), 21ª Região (RN), 22ª Região (PI) e 24ª Região (MS).

(DA, VC/CF)

<!– –> var endereco; endereco = window.location.href; document.write(‘‘) <!—-> Inscrição no Canal Youtube do TST

Fonte Oficial: TST.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Ministra Cristina Peduzzi recebe visita do governador do DF

document.write(‘Seguir‘); !function(d,s,id){var js,fjs=d.getElementsByTagName(s)[0];if(!d.getElementById(id)){js=d.createElement(s);js.id=id;js.src=”http://platform.twitter.com/widgets.js”;fjs.parentNode.insertBefore(js,fjs);}}(document,”script”,”twitter-wjs”); 20/02/20 – A presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministra Cristina Peduzzi, …