CGJ/AL discute ajustes e melhorias em ferramenta de inteligência artificial

O corregedor-geral da Justiça de Alagoas, desembargador Fernando Tourinho, reuniu-se com representantes do Núcleo de Gerenciamento de Precedentes (Nugep) e com servidores da Corregedoria Geral da Justiça de Alagoas (CGJ/AL) com o intuito de avaliar e estabelecer ajustes na Leia – ferramenta de inteligência artificial que identifica e sugere processos para vinculação com Temas dos Tribunais Superiores.

Durante o encontro, o corregedor discutiu implementações a serem realizadas na ferramenta. O programa é um projeto-piloto que está em fase de ajustes.

Inicialmente, foram selecionados 50 temas pelos cinco Tribunais participantes (TJAC, TJAL, TJAM, TJMS e TJCE), sendo construídas matrizes de entendimento de cada um dos temas. Uma vez validadas, essas matrizes são transformadas em algoritmo, com aplicação de técnicas de processamento de linguagem natural para potencializar o processo de classificação, a partir da leitura do inteiro teor das petições iniciais.

Para a representante do Nugep, Andrea Rios, o feedback dos usuários é imprescindível para que haja o constante aprimoramento da ferramenta. “A Corregedoria em conjunto com o Nugep pretende monitorar os processos que estão na fila Sugestão de Vinculação a Tema de Precedentes, para que, dessa forma, auxilie aos juízes nas decisões de sobrestamento, quando o tema ainda não tiver sido julgado, ou no julgamento dos processos. Há também a hipótese do tema já ter sido julgado, ou seja, encontrar-se com tese firmada”, pontuou.

A Corregedoria solicitou a lista de todas as unidades judiciárias das quais o programa fez uma leitura dos processos.“Aqui em Alagoas, a Leia detectou mais de 7 mil processos nessa situação e aí é necessário que cada unidade judiciária faça uma análise dos seus para saber se o sistema deu a informação correta, pois a inteligência artificial ainda está em fase de acompanhamento e ajuste”, comentou a servidora da CGJ/AL, Rossane Teixeira.

Estiveram presentes ainda o juiz auxiliar da Corregedoria, Antônio Rafael Casado, e os servidores José Baptista, Magno Vitório, Patrícia Sarmento e Samyane de Araújo. Além da representante do Nugep Ana Beltrão.

Fonte: TJAL

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/cgj-al-discute-ajustes-e-melhorias-em-ferramenta-de-inteligencia-artificial/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=cgj-al-discute-ajustes-e-melhorias-em-ferramenta-de-inteligencia-artificial.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Oficiais de Justiça de MS cumprem mais de 630 mil mandados em 2019

Os oficiais de justiça do Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul cumpriram mais de …