CNJ e TJAM dão início à capacitação para a implantação do SEEU

Nesta segunda-feira (10), uma comitiva do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), presidida pelo desembargador Marcelo Dalla Dea, coordenador nacional de implantação do Sistema Eletrônico de Execução Unificada (SEEU) e representantes do Tribunal de Justiça do Amazonas, dirigidos pelo desembargador Sabino da Silva Marques, que preside o Grupo Permanente de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário (GMF/TJAM), deram início à capacitação de servidores e magistrados do TJAM, visando à implantação do SEEU na Corte estadual.

O sistema foi adotado como política nacional pelo CNJ, em 2016, e é regido pela Resolução 223/2016 e pela Resolução 280/2019. Serão 30 dias de atuação da força-tarefa do CNJ e TJAM visando à adoção do sistema pela Corte amazonense.

Entre os participantes da cerimônia de abertura do treinamento, realizado no auditório do Fórum Des.ª Euza Maria Naice de Vasconcelos, estavam o juiz auxiliar da presidência, Alexandre Henrique Novaes de Araújo; o juiz Glen Hudson Paulain Machado, desiganado pela presidência do TJAM para coordenar a implantação do SEEU, além de servidores e magistrados da capital e do interior.

“Pela primeira vez vamos ter dados sobre a população prisional do Pais. Todo sistema será automatizado no Brasil inteiro. Poderemos ter dados para implementação de políticas de segurança pública e do sistema penitenciário, coisa que não se tinha até agora. É um avanço, inclusive, difícil de dimensionar. Até o final do semestre já teremos todo o sistema implantado no Brasil inteiro”, destacou o desembargador Marcelo Dalla Dea.

A partir de 2019, a melhoria e expansão do SEEU tornou-se parte das ações do “Programa Justiça Presente”, parceria entre o Conselho Nacional de Justiça e o “Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento”, com apoio do Ministério da Justiça e Segurança Pública. “Esse é um caminho natural, embora se saiba que está ocorrendo um retrabalho, porque já usávamos outro sistema. Porém, o custo-benefício é algo que é fundamental. Para tudo há um sacrifício e esse é um dos pontos que estamos enfrentando”, afirmou o desembargador Sabino Marques.

Desde 2019, as equipes de Tecnologia da Informação do “Justiça Presente” e do CNJ desenvolvem ferramenta que realiza a transmissão automática de dados de processos hospedados em outros sistemas, como SAJ e Projud, para o SEEU. Essa iniciativa elimina a necessidade de implantação manual das peças.

A integração com sistemas utilizados por órgãos parceiros, como a Defensoria Pública e o Ministério Público, é outra frente de atuação. Essa estratégia será fortalecida e outras plataformas poderão ser integradas ao SEEU, tais como sistemas da fase de conhecimento e da fase recursal e o Sistac (Sistema de Audiência de Custódia).

“O sistema de execução penal será unificado em todo o Brasil, e o Amazonas não poderia ficar de fora. O grande mérito do SEEU é ser um sistema unificado que vai ser usado em todo território nacional e vai permitir a concentração desses dados e informações mais precisas e confiáveis sobre o sistema de execução penal,” destacou o juiz auxiliar da presidência do TJAM Alexandre Novaes.

Agenda de capacitação

Nesta segunda-feira, o público-alvo da capacitação ministrada pela equipe do CNJ foram os servidores. Na sexta-feira (dia 14), será a vez dos magistrados do TJAM. Na segunda-feira (17), participam da capacitação representantes do Ministério Público do Amazonas e da Defensoria Pública do Estado. Na terça (18), será a vez da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Amazonas (OAB/AM) e da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap).

Benefícios do SEEU:

• alerta automático aos juízes de benefícios que estão vencendo ou estão por vencer por meio de cálculo automático da pena;
• acesso simultâneo concedido a diferentes atores (promotores de justiça; defensores públicos; advogados; gestores prisionais e outros) por meio de computador ou telefone conectado à internet;
• visualização em uma única tela de informações, como: processo; parte; movimentações e condenações;
• acompanhamento eletrônico dos prazos de progressão, oferecendo em tempo real o quadro das execuções penais em curso;
• pesquisa com indicativos gráficos para demonstrar a situação do sentenciado;
• produção de relatórios estatísticos.

Fonte: TJAM

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/cnj-e-tjam-dao-inicio-a-capacitacao-para-a-implantacao-do-seeu/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=cnj-e-tjam-dao-inicio-a-capacitacao-para-a-implantacao-do-seeu.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Justiça do Trabalho de GO lança ferramenta para acompanhar produtividade

A Justiça do Trabalho continua em atividade. E para permitir o acompanhamento em tempo real …