Petrobras Distribuidora e empregados negociam acordo no TST

document.write(‘‘); !function(d,s,id){var js,fjs=d.getElementsByTagName(s)[0];if(!d.getElementById(id)){js=d.createElement(s);js.id=id;js.src=”http://platform.twitter.com/widgets.js”;fjs.parentNode.insertBefore(js,fjs);}}(document,”script”,”twitter-wjs”);



A Vice-Presidência do TST apresentou proposta em reunião realizada nesta terça-feira (11).

11/02/20 – A Vice-Presidência do Tribunal Superior do Trabalho apresentou nesta terça-feira (11) proposta de acordo entre a Petrobras Distribuidora S. A. e entidades sindicais representantes dos empregados. As negociações dizem respeito a dois dissídios coletivos de natureza econômica ajuizados em novembro do ano passado pela Federação Nacional dos Trabalhadores no Comércio de Minérios e Derivados de Petróleo e pelos sindicatos de empregados no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul.

A BR Distribuidora, antiga subsidiária da Petróleo Brasileiro S. A. (Petrobras), foi privatizada em julho de 2019. Uma das medidas tomadas após a privatização foi a negociação para a redução dos salários e a repactuação do valor do salário fixo.

Indenização

Após reunião bilateral e debates unilaterais, foi apresentada a proposta, que prevê o pagamento de indenização de R$ 6 mil em favor dos empregados hipossuficientes, em razão da migração para a convenção coletiva de trabalho do setor e da mudança de data-base. A parcela deve ser paga até 15 dias após a assinatura do acordo.

Compensação

Outro ponto da proposta é a criação de mecanismo de compensação (denominada bônus diferido) para os casos de redução salarial. A parcela corresponde à diferença entre o salário atual e o novo valor ajustado multiplicada por 12. O pagamento de 70% desse valor será feito em 15 dias a contar do início da entrada em vigor da repactuação e 30% em março de 2021, esta última condicionada ao alcance de metas.

Limite

A proposta também estabelece limite de redução de remuneração de até 50%. Caso o empregado que tido seu salário reduzido seja dispensado no período de até 24 meses após a redução, a base de cálculo para fins rescisórios será o salário anterior à redução.

Benefícios

Benefícios educacionais, vale-refeição e vale-alimentação do último acordo coletivo de trabalho serão mantidos até 31/12, bem como a liberação remunerada de dirigentes sindicais.

Plano de saúde

A BR Distribuidora se compromete a assegurar plano de saúde aos empregados e a todos os atuais aposentados e pensionistas compatível com os benefícios da atual assistência médica, independentemente de negociação coletiva.

Assembleias

Os representantes da federação e dos sindicatos vão submeter a proposta às assembleias e informarão a resposta à Vice-Presidência até sexta-feira (14). Caso seja aceita, o acordo deve ser assinado na terça-feira (18), às 15h.

O juiz auxiliar da Vice-Presidência, Rogério Neiva, que conduziu a reunião, lembrou que na próxima quarta-feira (19) se encerra o mandato do ministro Renato de Lacerda Paiva na Vice-Presidência do TST, em razão da posse da nova administração.

(CF)

<!– –> var endereco; endereco = window.location.href; document.write(‘‘) <!—-> Inscrição no Canal Youtube do TST

Fonte Oficial: TST.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Ministra Cristina Peduzzi recebe visita do governador do DF

document.write(‘Seguir‘); !function(d,s,id){var js,fjs=d.getElementsByTagName(s)[0];if(!d.getElementById(id)){js=d.createElement(s);js.id=id;js.src=”http://platform.twitter.com/widgets.js”;fjs.parentNode.insertBefore(js,fjs);}}(document,”script”,”twitter-wjs”); 20/02/20 – A presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministra Cristina Peduzzi, …