Em Mato Grosso do Sul, ministro Dias Toffoli repudia assassinato do jornalista Léo Veras – STF

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, condenou o assassinato do jornalista Léo Veras, que teria sido executado por pistoleiros ligados ao crime organizado. O delito foi cometido na cidade de Pedro Juan Caballero, no Paraguai, região fronteiriça com Ponta Porã (MS).

"É muito importante o trabalho coordenado das polícias para desmantelar organizações criminosas transnacionais e impedir que crimes como o que tirou a vida do jornalista Léo Veras não fiquem impunes e jamais se repitam", ressaltou o ministro. A declaração aconteceu em entrevista a um dos principais jornais de Mato Grosso do Sul.

Ele destacou projetos do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para ajudar no combate à criminalidade, como o Diálogos Polícias e Judiciário – uma pesquisa nacional para ouvir profissionais do sistema de segurança visando qualificar o debate sobre o tema.

Além disso, o presidente da Corte também citou a criação do grupo de trabalho, presidido pelo ministro Alexandre de Moraes, que irá propor alterações legislativas, criar um banco de dados integrado de inteligência contra o crime organizado e garantir mais segurança para os magistrados que atuam na esfera criminal.

"Não há dúvidas de que o combate ao crime organizado nas áreas de fronteira pressupõe essencialmente ações integradas e efetiva cooperação institucional entre o sistema de justiça, os órgãos de investigação e de segurança pública", pontuou Dias Toffoli.

O presidente realiza visita institucional ao estado com o objetivo de promover o diálogo com os operadores do Direito e ampliar a integração do Poder Judiciário. Ele se encontrará com dirigentes dos órgãos do Poder Judiciário das áreas estadual, trabalhista, eleitoral e federal de Mato Grosso do Sul.

Assessoria de Comunicação da Presidência

 

Fonte Oficial: http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=437074.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

2ª Turma confirma validade de perda de nacionalidade brasileira de ex-sócio da Telexfree – STF

Por maioria de votos, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou, na sessão …