CNJ suspende pagamento de verba prevista em portaria do TJCE

A Corregedoria Nacional de Justiça determinou, nesta terça-feira (31/3), a instauração de pedido de providências para apurar a informação, veiculada pelo Diário Oficial do Ceará, de que o Tribunal de Justiça do Estado (TJCE) editou a Portaria n. 534/2020, que fixa ajuda de custo a magistrados integrantes de núcleo de produtividade remota, por exercício cumulativo de função.

Segundo consta do DOCE, o tribunal estadual editou o ato normativo levando em conta a Resolução n. 1/2020, que estabelece aos magistrados integrantes de comissões, núcleos, grupos de trabalho ou comitês estratégicos a percepção de ajuda de custo por exercício cumulativo de função correspondente a 15% do subsídio mensal.

Ao instaurar o PP, o corregedor nacional de Justiça em exercício, ministro Dias Toffoli, determinou a imediata suspensão do pagamento da verba prevista na Portaria n. 534/2020.

Autorização CNJ

Segundo Dias Toffoli, a corte local não está autorizada a conceder qualquer verba remuneratória ou indenizatória não prevista na Lei Orgânica da Magistratura (Loman), sem autorização do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), conforme disciplina o Provimento n. 64/2017 e a Recomendação n.
31/2019 do CNJ.

O ministro lembrou ainda que a Resolução n. 13/2006 do CNJ estabelece que a gratificação para integrar comissões ou grupos de trabalho se considera incluída no valor do subsídio recebido por magistrados.

O TJCE terá dez dias para prestar informações sobre a decisão tomada sem observância dos normativos citados.

O ministro Dias Toffoli também determinou a expedição de ofício circular a todos os tribunais do país, excetuado o Supremo Tribunal Federal, a fim de reiterar que as cortes observem as determinações constantes do Provimento n. 64/2017 e da Recomendação n. 31/2019.

O presidente do CNJ está respondendo interinamente pela Corregedoria Nacional de Justiça em razão do afastamento temporário do corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins. A substituição consta da Portaria n.28, de 23 de março de 2020.

Clique aqui e leia a íntegra da decisão.

Corregedoria Nacional de Justiça

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/cnj-suspende-pagamento-de-verba-prevista-em-portaria-do-tjce/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=cnj-suspende-pagamento-de-verba-prevista-em-portaria-do-tjce.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Boas práticas pelos direitos das crianças serão difundidas em capacitação

Disseminar práticas para a proteção e o desenvolvimento de crianças na primeira infância. Esse é …