Justiça do Trabalho mantém prestação jurisdicional e aumenta produtividade durante período de trabalho remoto

document.write(‘‘);
!function(d,s,id){var js,fjs=d.getElementsByTagName(s)[0];if(!d.getElementById(id)){js=d.createElement(s);js.id=id;js.src=”http://platform.twitter.com/widgets.js”;fjs.parentNode.insertBefore(js,fjs);}}(document,”script”,”twitter-wjs”);



(Qua, 01 abr 2020 19:09:00)

Sessões virtuais permitem o trabalho à distância nos órgãos colegiados de segunda e última instância.

A Justiça do Trabalho, em atendimento aos princípios da eficiência e da efetividade, manteve a prestação jurisdicional e a produtividade durante o período de isolamento social em prevenção ao contágio pelo novo coronavírus (COVID-19). Ato conjunto da Presidência, da Vice-Presidência do TST e do CSJT e da Corregedoria-Geral da Justiça do Trabalho, determinou a suspensão de serviços presenciais da Justiça do Trabalho, porém a execução das atividades continuou por meio remoto.

O Tribunal Superior do Trabalho (TST), por exemplo, conseguiu aumentar em 38% a média de processos julgados em sessão durante a quarentena. De acordo com os dados da Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do Tribunal, no período de 17 a 27 de março, em que foram suspensas as prestações de serviços presenciais no órgão, houve uma média diária de 601 processos julgados em sessão, 38% maior aos 435 processos julgados no mesmo período em 2019.

Também houve aumento na média diária de processos distribuídos: foram 1.245 processos, 25% superior aos 995 processos no mesmo período do último ano.

Julgamentos virtuais

Sessões de julgamento em meio virtual já são uma prática adotada no TST e em diversos Tribunais Regionais do Trabalho, especialmente para processos mais simples ou com jurisprudências pacificadas. No TST, o sistema de Plenário Virtual permitiu o julgamento de processos nas oito Turmas e na Subseção 1 de Dissídios Individuais (SDI-1). Da programação semanal do TST, apenas a Subseção 2 de Dissídios Individuais (SDI-2) não foi realizada.

Por meio do sistema de Plenário Virtual, os processos ficam listados em uma plataforma online, que permite que os ministros vejam os votos e se comuniquem uns dos outros. Caso algum deles avalie que a pauta do julgamento deva ser presencial, basta sinalizar. O software foi aprovado pelo Tribunal Pleno em novembro de 2016 e desde então é utilizado pela Corte para conferir celeridade processual às demandas trabalhistas.

Os TRTs dispõem de sistemas semelhantes e também têm adotado tais medidas para manter a prestação jurisdicional, ainda que de modo remoto. Além disso, o próprio Processo Judicial Eletrônico (PJe) facilita o acesso aos autos por parte dos servidores e colaboradores da Justiça do Trabalho.

Confira o desempenho nos TRTs

TRT da 1ª Região (RJ): foram expedidos 7.190 alvarás em primeiro e segundo grau no período de 17 a 26 de março, índice 34% superior ao mesmo momento de 2019. Também foram pagos mais de R$ 57 milhões, incluindo créditos dos demandantes, contribuição previdenciária, custas, honorários advocatícios e outras obrigações pecuniárias.

TRT da 2ª Região (SP): foram mais de 141 mil atos judiciais nos dez primeiros dias de medidas preventivas. No primeiro grau, foram 4.528 alvarás, 11 mil sentenças, 95 mil despachos e outras 17 mil decisões. No segundo grau, foram prolatados 6,6 mil acórdãos, 2,1 mil despachos e outras 2,8 mil decisões.

TRT da 3ª Região (MG) – aguardando informações. 

TRT da 4ª Região (RS): na primeira semana de trabalho totalmente a distância, realizada de 20 a 27 de março, o TRT registrou R$ 43,6 milhões pagos aos reclamantes. Foram mais de 4,8 mil alvarás expedidos, 6,3 mil decisões judiciais e 20,3 mil despachos. Foram homologados 350 acordos e realizadas, no segundo grau, 6 mediações e 12 sessões virtuais de julgamento.

TRT da 5ª Região (BA): a produtividade do TRT aumentou no período de 16 a 25 de março, com uma média diária de atos praticados de 4.881 (no mesmo período em 2019 a média foi de 4.454). No total, foram mais de 39 mil atos processuais realizados, incluindo 27 mil despachos, 6,7 mil decisões e 5,2 mil julgamentos. Foram também levantados 6.740 alvarás, o que totaliza um valor de R$ 79,4 milhões. O TRT também desenvolveu uma nova funcionalidade dentro da ferramenta Business Intelligence (BI) que permite o acompanhamento, por parte dos gestores, das atividades realizadas pelos servidores em regime de home office.

TRT da 6ª Região (PE): com atividades presenciais suspensas desde 18 de março, foram prolatadas 1,2 mil sentenças, solucionados 625 incidentes processuais, proferidos 21,5 mil despachos e homologados 413 acordos, tudo por meio do Processo Judicial eletrônico (PJe). As Turmas do Tribunal estão realizando sessões virtuais para julgar os recursos e já contabilizam 1.022 acórdãos. Além disso, houve 25 decisões monocráticas e a apreciação da admissibilidade de 1.060 recursos de revista e agravos de instrumento. Por meio dos 2,5 mil alvarás emitidos, estima-se a liberação de créditos de R$ 24,9 milhões, sendo R$ 13,5 milhões provenientes da execução, R$ 9,2 milhões de acordos e dois milhões pelo pagamento espontâneo. Outros R$ 3,8 milhões foram recolhidos ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

TRT da 7ª Região (CE): De 13 a 30 de março o TRT já realizou 16,8 mil atos processuais: foram 16,8 mil expedientes, 1,8 mil sentenças, 2,2 mil decisões, 11,4 mil despachos e 517 alvarás.

TRT da 8ª Região (PA/AP): foram mais de seis mil atos em oito dias de trabalho remoto. Neste valor, incluem-se 1,1 mil sentenças, 1 mil decisões, 625 alvarás e 3,4 mil despachos.

TRT da 9ª Região (PR): no período de 18 a 31 de março, a 9ª Região (PR) emitiu 4,8 mil sentenças e 840 acórdãos. Os atos judiciais, que incluem alvarás, despachos, decisões, sentenças e acórdãos, chegaram a 62 mil neste período. Destaque também para os 4,7 mil alvarás expedidos.

TRT da 10ª Região (DF/TO): o Tribunal registrou, de 18 a 25 de março, um total de 10.717 atos judiciais, entre alvarás, decisões, despachos, sentenças e acórdãos. Na área administrativa, as equipes geraram 217 processos, 3.020 documentos, bem como despacharam em 897 processos administrativos e receberam 1.528 documentos.

TRT da 11ª Região (AM/RR): entre os dias 18 e 27 de março, o TRT realizou 6.106 despachos, proferiu 2.047 decisões e 1.007 sentenças, e ainda expediu 818 alvarás.

TRT da 12ª Região (SC): nos dez primeiros dias de isolamento ,de 17 a 26 de março, foram julgados mais de 1,2 mil processos na região e garantido o pagamento de quase R$ 30 milhões aos trabalhadores. No período, 1.686 casos novos foram cadastrados, enquanto outras 2.793 ações avançaram em suas fases processuais. O trabalho remoto viabilizou ainda a conciliação de 269 processos, o término da execução (cobrança da dívida) em 534 ações judiciais e outras 1.429 decisões interlocutórias.

TRT da 13ª Região (PB): Entre 16 e 26 de março, foram prolatados: 1.300 sentenças, 1.220 decisões, 743 alvarás e 6.132 despachos em ações trabalhistas, totalizando 9.395 atos judiciais, número total maior do que no mesmo período de 2019.

TRT da 14ª Região (RO/AC): Em 13 dias de trabalho remoto, foram produzidos mais de 9,7 mil atos – 6,1 mil atos judiciais e outros 3,6 mil atos administrativos. Dentro da atividade judicante, foram 745 sentenças, 3.446 despachos, 1.389 decisões, 323 acórdãos e 268 alvarás.

TRT da 15ª Região (Campinas/SP): Somente no primeiro grau, a 15ª Região movimentou mais de R$ 119,7 milhões pagos aos reclamantes por meio de acordos no período de 17 a 31 de março, além de R$ 74,4 milhões decorrentes de execução e R$ 53,4 de decisões proferidas durante o período de suspensão dos prazos.

TRT da 16ª Região (MA): No período de 20 a 25 de março, nas 23 Varas do Trabalho (primeiro grau), foram proferidas 769 decisões, expedidos 3.037 despachos e sentenciados 663 processos. No segundo grau, foram prolatados 162 acórdãos, despachados 167 processos e proferidas 20 decisões.

TRT da 17ª Região (ES): Foram finalizados 1,2 mil processos de 17 a 25 de março na Justiça do Trabalho da 17ª Região (ES).

TRT da 18ª Região (GO): Na região, foram mais de 15 mil atos desde a portaria que ampliou o trabalho remoto. De 18 a 27 de abril, foram produzidas duas mil sentenças e 400 acórdãos. Também foram expedidas 2,5 mil decisões, 3 mil alvarás e 7,6 mil despachos.

TRT da 19ª Região (AL): Foram realizados 19.607 atos entre 19 a 31 de março. Entre eles, 716 alvarás, 661 decisões, 4.140 despachos, 560 sentenças.

TRT da 20ª Região (SE): O trabalho remoto realizado nos dias 16 a 27 de março permitiu mais de R$ 14,9 milhões pagos aos demandantes. No primeiro grau, foram 900 processos baixados, 36 acordos homologados, 45 liquidações finalizadas, 489 recursos remetidos à instância superior e 635 sentenças proferidas.

TRT da 21ª Região (RN): a produtividade na região aumentou entre 23 e 27 de março. Foram 501 sentenças e  123 acórdãos. Também foram expedidos 127 alvarás, 2,5 mil despachos e 236 mandados. Se comparado com a semana anterior, foram aumentos de produtividade de até 45%.

TRT da 22ª Região (PI) – aguardando informações. 

TRT da 23ª Região (MT): Entre 20 e 25 de março, foram proferidos quase seis mil atos – 122 alvarás, 520 decisões, 4.440 despachos e 627 sentenças.

TRT da 24ª Região (MS): Mais de nove mil atos processuais foram realizados no período de 18 a 30 de março, com mil sentenças, 463 acórdãos, 1,4 mil decisões, 5,4 mil despachos e 483 alvarás. Também foram registrados 680 casos novos.

(VC)

 



<!– –>


var endereco;
endereco = window.location.href;
document.write(‘‘)


<!—->

<!—->



Inscrição no Canal Youtube do TST



Fonte Oficial: TST.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

TST fará estudos sobre retomada das atividades presenciais

O plano deverá levar em conta as orientações das autoridades sanitárias e a situação epidemiológica. Plenário …