Dário Berger propõe ao Ministério da Saúde uso de sistema de telemedicina catarinense — Senado Notícias

Como medida para aliviar hospitais e centros de saúde com o atendimento de pacientes a distância, o senador Dário Berger (MDB-SC) enviou ofício ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, propondo que seja implementado o Sistema Integrado de Telemedicina e Telessaúde (STT), desenvolvido em Santa Catarina pela Universidade Federal (UFSC), para agilizar e acelerar o diagnóstico dos pacientes com Covid-19. 

Na proposta, Dário Berger argumenta que isso pode contribuir com o país para superar a pandemia causada pelo novo coronavírus. Para ele, são necessários diagnósticos cada vez mais rápidos e eficientes para pacientes acometidos por infecções da Covid-19. O senador considera importante o trabalho desempenhado pela UFSC no desenvolvimento do Sistema Integrado de Telemedicina e Telessaúde. 

De acordo com o senador, o sistema funciona há mais de 15 anos e vem sendo desenvolvido e executado de forma ininterrupta, em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina, desde de 2005. O sistema recebe apoio da Organização Pan-Americana de Saúde, do Ministério da Saúde, da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc), e da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). 

Dário Berger observa que o sistema de Santa Catarina é um projeto conceituado e reconhecido internacionalmente como referência. Ele afirmou que a telemedicina pode ser de relevante importância na batalha contra o coronavírus. 

— O sistema tem características únicas e se constitui numa das mais avançadas tecnologias brasileiras de telemedicina. É um conjunto de processos de trabalho médico, protocolos de exames e condutas clínicas para diagnóstico à distância em larga escala, e acompanhamento de pacientes no contexto do Sistema Único de Saúde (SUS) — destacou. 

O pedido foi encaminhado a Mandetta após o senador ter contato com o Dr. Aldo Von Wangenheim, professor do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Convergência Digital da UFSC, que colocou à disposição toda estrutura já existente do programa, para colaborar com o ministério em outros estados.

— O STT se constitui hoje, com o suporte a mais de 80 mil exames médicos e teleconsultorias médicas por mês, provavelmente na maior infraestrutura de telediagnóstico do Hemisfério Sul — disse o senador,  citando dados fornecidos por Wangenheim. 

Telemedicina durante a pandemia 

No Senado, um projeto de lei que libera o uso da telemedicina durante a pandemia de coronavírus no Brasil foi aprovado nesta terça-feira (31). O PL 696/2020, da deputada federal Adriana Ventura (Novo-SP), havia sido aprovado na Câmara dos Deputados na quarta-feira (25). O texto segue para a sanção presidencial. 

Pelo texto, telemedicina é o exercício da medicina mediado por tecnologias para assistência, pesquisa, prevenção de doenças e lesões e promoção de saúde. Ao sugerir esse recurso, o médico deve esclarecer ao paciente as limitações disso, como a impossibilidade de realizar exames que exijam coleta de material, por exemplo. Também deve informar, se for o caso, as formas de pagamento. 

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte Oficial: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2020/04/01/dario-berger-propoe-ao-ministerio-da-saude-o-uso-do-sistema-integrado-de-telemedicina.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Cobertura de quimioterapia de uso oral em casa pode se tornar obrigatória; texto vai à Câmara — Senado Notícias

Planos de saúde poderão ser obrigados a cobrir quimioterapia de uso oral registrado na Anvisa …