Davi promete se posicionar sobre uso do fundo eleitoral no combate ao coronavírus — Senado Notícias

Na sessão virtual deliberativa do Senado, nesta segunda-feira (13), o presidente da Casa, Davi Alcolumbre, se pronunciou rapidamente sobre a proposta de um grupo de senadores de transferir o dinheiro do fundo eleitoral, no valor de R$ 2 bilhões, para o combate à pandemia de coronavírus. Davi destacou o esforço do governo federal e do Parlamento na edição e na aprovação de medidas provisórias de créditos, no socorro às empresas e na liberação de recursos que, até agora, somam R$ 500 bilhões, cerca de 7,5% do Produto Interno Bruto (PIB).  

— Não podemos voltar a essa discussão neste momento, quando 250 vezes mais do que o orçamento destinado à democracia já foram aplicados por medidas do governo, do Congresso brasileiro. Então é só uma conta: 250 vezes [mais recursos] já foram liberados. Será que esses R$ 2 bilhões do financiamento da democracia, são eles que são fundamentais para o combate à pandemia, enquanto todos nós temos nos dedicado à defesa dos brasileiros? — questionou.

Ressaltando que não quer polemizar, Davi disse que deverá voltar ao tema com mais tranquilidade nos próximos dois dias, para explicar as razões de a Advocacia do Senado ter recorrido para derrubar a decisão judicial que bloqueou os recursos dos fundos eleitoral e partidário para aplicação no combate à pandemia. Ele lembrou que votou contra o financiamento público de campanha, mas foi derrotado.

— Faltaram quatro votos no Senado Federal para que fosse aprovado o financiamento privado e nós não tivéssemos esse problema — completou.

Emendas

Nesta segunda-feira, foram rejeitadas as emendas para repasse dos recursos do Fundo Eleitoral à saúde — elas haviam sido apresentadas à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 10/2020, que institui regime extraordinário fiscal, financeiro e de contratações para enfrentamento da Covid-19 no Brasil. Essas emendas foram consideradas matérias estranhas ao texto. Uma delas foi apresentada pelo senador Major Olímpio (PSL-SP), que protestou durante a respectiva votação.

— O que me deixa transtornado e indignado como brasileiro é dizer que [a emenda relativa a] essa grana do fundão eleitoral, essa grana do fundão da vergonha, foi rejeitada no Senado com a mesma manobra utilizada na Câmara dos Deputados para considerar a matéria estranha — declarou ele.  

O mesmo posicionamento foi adotado pelo senador Dário Berger (MDB-SC), favorável a outra emenda com o mesmo objetivo, de autoria do senador Lasier Martins (Podemos-RS).

— O momento requer mais do que discurso; requer ações. A prioridade é o investimento em saúde para salvar vidas. Ciente da grave crise de saúde pública que o país enfrenta, reitero meu apoio à destinação emergencial dos recursos do fundo eleitoral para o combate à pandemia de coronavírus — ressaltou Dário.

A bancada do Paraná também declarou apoio à destinação dos recursos do fundo eleitoral para ações de saúde.

— Penso que devíamos acabar com esses fundos. É uma vergonha um país ter 30 partidos, justamente por causa do fundo partidário e do fundo eleitoral. Esses fundos geraram os empreendedores da política — criticou o senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR)

As emendas também foram defendidas pela senadora Soraya Thronicke (PSL-MS) em postagem na internet.

— Se o fundão salvar uma vida da covid-19, já terá valido a pena — disse ela.

Já o relator da PEC 10/2020, senador Antonio Anastasia (PSD-MG), que apresentou substitutivo à proposta e rejeitou as emendas, disse ser favorável ao remanejamento orçamentário do fundo eleitoral para ações de saúde, especialmente as relacionadas à epidemia da covid-19, desde que apreciado em outros projetos de lei.

— Tanto o PL 772/2020 quanto o PL 1123/2020, que tratam sobre o tema, merecerão meu apoio e meu voto favorável quando forem colocados em pauta — afirmou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte Oficial: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2020/04/13/davi-promete-se-posicionar-sobre-uso-do-fundo-eleitoral-no-combate-ao-coronavirus.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

OCDE reconhece importância do trabalho da IFI — Senado Notícias

Relatório publicado nesta quarta-feira (3) pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) destaca …