Senadores lamentam morte de Moraes Moreira — Senado Notícias

A morte repentina do músico baiano Moraes Moreira, nesta segunda-feira (13), repercutiu entre os senadores. Nas redes sociais, eles prestaram homenagem ao cantor e compositor, relembrando suas canções, desde os anos 1970, como integrante do grupo Novos Baianos. De acordo com a assessoria do cantor, ele faleceu por volta das 6h, em sua casa, no Rio de Janeiro, aos 72 anos, após sofrer um infarto.

Para o senador Angelo Coronel (PSD-BA), as composições de Moraes Moreira serão um legado para a cultura popular brasileira. “Triste notícia da morte de Moraes Moreira, um dos ícones da música baiana e brasileira. Desde os Novos Baianos, ganhou fama e respeito como compositor e cantor. Meu respeito aos familiares neste momento. Vá em paz Moraes. Seu legado permanecerá levando alegria a todos nós”, disse.

O pioneirismo de Moraes Moreira ao cantar em cima de um trio elétrico e arrastar multidões pelas ruas de capitais como Salvador e Recife foi destacado pelo senador Jaques Wagner (PT-BA). “Primeiro artista a cantar num trio elétrico na década de 70, Moraes quebrou uma tradição e abriu caminho para o carnaval como conhecemos hoje. Com seu talento e genialidade ele deixa um legado inestimável para nossa cultura. Valeu, Moraes!”, agradeceu o senador.

As inovações introduzidas pelo cantor baiano na musicalidade brasileira também foram ressaltadas pelo senador Humberto Costa (PT-PE). “Que tristeza saber da morte do gênio Moraes Moreira, esse cara que assumiu tanto pioneirismo na nossa música, que introduziu tantas coisas novas nela e que a reinventou por dentro. Segue em paz, Moraes. Seguiremos de mãos dadas com tudo o que você nos legou em genialidade”, acrescentou.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) se solidarizou com os familiares e amigos do músico, a quem agradeceu pelas canções e poesias eternizadas na cultura brasileira. “Como farás falta nestes dias tão difíceis! Como tua poesia e tuas canções poderiam salvar o mundo! Grande Moraes Moreira, vai contigo parte de nós, parte da alegria. Hoje não tem festa, tem saudade de ti. Meus sentimentos à família e aos amigos. Obrigado por tudo, mestre!”.

Para a senadora Leila Barros (PSB-DF), ouvir Moraes Moreira é “entrar no túnel do tempo em uma viagem que começa no passado — desde os anos 1970, com os Novos Baianos — chega ao presente e se espalha pelo futuro. Pois sua obra é eterna. Triste e comovida, apresento minhas condolências aos familiares e amigos próximos”.

Versos e letras

Algumas composições recentes e antigos hits de Moraes Moreira também foram lembrados pelos senadores.

“Eu tenho medo do excesso. Que seja em qualquer sentido. Mas também do retrocesso. Que por aí escondido”, registrou o senador Fabiano Contarato (Rede-ES) pelo Twitter ao fazer referência à última composição do músico. “Lúcido e imprescindível! Sua partida nos dói. Sua essência continuará nos iluminando. Fica com Deus!”, concluiu o senador.

O senador Izalci Lucas (PSDB-DF) também relembrou um grande sucesso do cantor ao prestar sua homenagem. “Que Deus conforte a família do músico Moraes Moreira. O compositor se vai. E “preta, preta, pretinha” fica. Sua música está no coração do Brasil!”, enfatizou.

Para Rogério Carvalho (PT-SE) a “cultura popular brasileira perde um grande nome. Um gigante que fortaleceu nossa brasilidade por meio da música. Triste notícia a morte de Moraes Moreira!”.

O senador Eduardo Braga (MDB-AM) também usou as redes sociais para se solidarizar com familiares e destacar a obra de Moraes Moreira:

“Nossa segunda começa triste com a notícia do falecimento do cantor e compositor Moraes Moreira, um dos maiores nomes da música do nosso país. Seu legado de exaltação ao Brasil e à brasilidade permanece”, disse.

“Moraes Moreira foi alegrar outras praças com seu zunzum. Lá de cima, deve tá olhando pra gente e dizendo: Besta é tu não viver nesse mundo”, registrou o senador Jean Paul Prates (PT-RN) lembrando verso de uma composição do artista. 

“Com tristeza, recebemos a notícia da morte de um dos grandes nomes da MPB, o cantor e compositor Moraes Moreira, nesta segunda-feira. Deus conforte seus familiares e amigos nesta hora de dor. Meus sentimentos”, se solidarizou a senadora Zenaide Maia (Pros-RN) no Twitter. 

Biografia

Antonio Carlos Moreira Pires nasceu em Ituaçu, no interior da Bahia, em 8 de julho de 1947. Ele começou sua vida artística tocando sanfona de doze baixos em festas de São João e outros eventos na cidade. Na adolescência, aprendeu a tocar violão, enquanto fazia curso de ciências em Caculé, na região sudoeste da Bahia, em 1967. Ainda jovem, mudou-se para Salvador, onde estudou no Seminário de Música da Universidade Federal da Bahia. Lá conheceu seus futuros companheiros dos Novos Baianos, Luiz Galvão e Paulinho Boca de Cantor, além de Tom Zé. Em 1976, já em carreira solo, ele se tornou o primeiro cantor de trio elétrico, ao subir no trio de Dodô e Osmar lançando diversos sucessos que vieram a ser caracterizados como “frevo trieletrizado”. Músicas como “Pombo correio”, “Vassourinha Elétrica” e “Bloco do Prazer”, foram alguns sucessos da época. 

Com quase 30 discos lançados e uma centena de obras que viraram sucesso nacional, Moraes Moreira se tornou referência na música popular brasileira.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte Oficial: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2020/04/13/senadores-lamentam-morte-de-moraes-moreira.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Vídeo: Empréstimo de até R$ 100 mil para profissional liberal é um dos destaques das votações do Senado na semana

Vídeo: Empréstimo de até R$ 100 mil para profissional liberal é um dos destaques das …