CNJ busca ser eficiente e exemplar durante pandemia do novo coronavírus

“Temos nos esforçado muito para sermos rápidos, eficientes e exemplares nesse cenário de pandemia do novo coronavírus”, afirmou nesta terça-feira (14/4) a conselheira do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Ivana Farina. Ela participou de bate-papo ao vivo no programa “Tertúlia com Túlia”, realizado na Alemanha pela arquiteta Túlia Lopes, que abordou o distanciamento social e as ações lideradas pelo CNJ para responder às demandas surgidas nesse período.

Ivana, que também é ex-presidente do Conselho Nacional de Direitos Humanos e ex-procuradora geral de Justiça de Goiás, destacou que o Sistema de Justiça não parou durante a quarentena, inclusive com sessões virtuais. “O judiciário está trabalhando muito, porque é necessário decidir de forma célere sobre leitos hospitalares, disponibilidade de terapia intensiva, respiradores para os estados e medicamentos, entre outras questões importantes.”

“Há sérias questões preexistentes à pandemia, como a sobrecarga do SUS [Sistema Único de Saúde], a superlotação do sistema carcerário, com mais de 750 mil detentos, milhares de pessoas em situação de rua e o desemprego crescente”, pontuou a conselheira. Para ela, esses são quadros  que confrontam a recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) de distanciamento e isolamento social para diminuir a velocidade do contágio do novo coronavírus e não impactar a rede hospitalar, para que possa ser mantida a capacidade de resposta da saúde pública.

Diante deste cenário, o CNJ tem se manifestado para , estabelecendo orientações e novas rotinas, resguardar a saúde de apenados, recomendando que sejam liberados aqueles do grupo de risco e que não tenham cometido crime violento. Ainda tem garantido o acesso da população à saúde e ao isolamento social e dado especial atenção à violência doméstica, que aumentou muito devido às restrições de mobilidade. “A mulher está em casa e seus filhos e companheiro também, é uma situação de estresse que tem colaborado para gerar mais violência.”

Ivana também destacou o trabalho do Observatório Nacional sobre Questões Ambientais, Econômicas e Sociais de Alta Complexidade e Grande Impacto e Repercussão, onde há diversas ações sobre o novo coronavírus desenvolvidas pelo CNJ, ou do âmbito da Justiça como um todo. Nesse momento, 158 ações judiciais relacionadas à Covid-19 são acompanhadas pelo Observatório do CNJ.

A conselheira ainda comentou sobre sua rotina em casa, com o trabalho no modo remoto, a atenção ao filho de 15 anos que está estudando via internet, e o marido, que trabalha em atividade essencial e precisa sair diariamente. “Nosso cuidado em relação ao risco do coronavírus aumentou muito, mas estamos cientes da importância do trabalho de cada um e das necessidades do país.”

Agência CNJ de Notícias

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/cnj-busca-ser-eficiente-e-exemplar-durante-pandemia-do-novo-coronavirus/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=cnj-busca-ser-eficiente-e-exemplar-durante-pandemia-do-novo-coronavirus.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Boas práticas pelos direitos das crianças serão difundidas em capacitação

Disseminar práticas para a proteção e o desenvolvimento de crianças na primeira infância. Esse é …