60 anos de Brasília: TST presta homenagem à cidade que abriga a sede da Justiça do Trabalho

Em quatro quadros, alguns dos principais monumentos da capital federal surgem desenhados no edifício-sede do Tribunal, numa alusão às histórias que se entrelaçam. 

Em tom de celebração e agradecimento, o perfil oficial do TST no Instagram publica nesta terça-feira (21) uma homenagem aos 60 anos de Brasília, cidade que, desde 1971, abriga a sede maior da Justiça do Trabalho. Em quatro quadros, alguns dos principais monumentos da capital federal surgem desenhados no edifício-sede do Tribunal, numa alusão às histórias que se entrelaçam. 

“O Tribunal Superior do Trabalho compartilha das comemorações pelo aniversário de Brasília, registrando o simbolismo de a instância máxima da Justiça do Trabalho estar no centro do país, para onde convergem as pessoas e as forças produtivas oriundas dos diversos Estados da Federação”, afirma a ministra Maria Cristina Peduzzi, presidente do TST.

Em 1971, a sede do TST foi transferida para Brasília, na Praça dos Tribunais Superiores. Em 2006, passou a ocupar a obra arquitetônica de Oscar Niemeyer localizada no Setor de Administração Federal Sul. Além de ter o DNA de um dos idealizadores da cidade, o atual edifício-sede também abriga painéis de outro brasileiro que assina a estética de Brasília: Athos Bulcão.

 

Outros símbolos da capital federal transcendem o concreto e cercam o Tribunal. Ipês brancos e amarelos florescem em setembro e, em contraste com o céu azul sem nuvens da cidade no período da seca, compõem uma paisagem única.

Todos esses traços, vegetação e histórias que se misturam são motivos de celebração neste dia em que Brasília completa seis décadas de existência no coração do Planalto Central. Quando o isolamento social acabar, não deixe de participar gratuitamente das visitas guiadas ao TST, aos sábados. O agendamento só é necessário para grupos e pode ser feito pelo telefone (61) 3043-4939.

$(‘#lightbox-iphm_ .slider-gallery-wrapper img’).hover(
function() {
const $text=$($($(this).parent()).next());
$text.hasClass(‘inside-description’) && $text.fadeTo( “slow” , 0);
}, function() {
const $text=$($($(this).parent()).next());
$text.hasClass(‘inside-description’) && $text.fadeTo( “slow” , 1);
}
);
$(document).ready(function() {
var iphm_autoplaying=false;
var iphm_showingLightbox=false;
const iphm_playPauseControllers=”#slider-iphm_-playpause, #slider-iphm_-lightbox-playpause”;
$(“#slider-iphm_”).slick({
slidesToShow: 1,
slidesToScroll: 1,
autoplay: iphm_autoplaying,
swipeToSlide: false,
centerMode: false,
autoplaySpeed: 3000,
focusOnSelect: true,
prevArrow:
‘,
nextArrow:
‘,
centerPadding: “60px”,
responsive: [
{
breakpoint: 767.98,
settings: {
slidesToShow: 3,
adaptiveHeight: true
}
}
] });
$(“#slider-iphm_”).slickLightbox({
src: ‘src’,
itemSelector: ‘.galery-image .multimidia-wrapper img’,
caption:’caption’
});
});

Fonte Oficial: TST.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Empresa de ônibus é condenada por contratação insuficiente de pessoas com deficiência

A empresa deverá pagar R$ 75 mil por danos morais coletivos. Ônibus na rodoviária. Foto: …