DataSenado mostra que maioria dos brasileiros apoia adiamento do Enem — Senado Notícias

Pesquisa realizada pelo Instituto DataSenado mostra que a maioria dos brasileiros apoia o adiamento da prova do Enem 2020, conforme prevê o PL 1.277/2020, projeto de lei da senadora Daniella Ribeiro (PP-PB). A proposta foi aprovada pelo Senado na terça-feira (19) e, agora, aguarda votação na Câmara dos Deputados.

De acordo com a pesquisa, 75% dos entrevistados acham muito importante adiar as provas de ingresso no ensino superior em períodos de epidemia, 14% consideram isso pouco importante, 8% acham nada importante e 3% não souberam ou preferiram não responder. A íntegra da pesquisa pode ser vista aqui.

Para a senadora, o resultado do levantamento comprova o que os parlamentares têm ouvido da população: que há uma disparidade muito grande entre os estudantes neste momento, com as aulas suspensas devido à covid-19. O que, destaca ela, pode se refletir no resultado das provas do Enem.

— Por força dessa suspensão, muitos alunos estão sem acesso à internet, sem acesso a instrumentos que possam dar a eles as mesmas condições de estudo e de competitividade dos alunos mais abastados, que têm um computador em casa, têm internet, têm um celular de última geração.

Daniella Ribeiro também ressalta que seu projeto foi apresentado quando o ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmava que as provas do Enem não seriam adiadas, “numa clara demonstração de falta de sintonia com o Brasil real, quando estudantes estão perdendo familiares e se estressando em isolamento”. Na última quarta-feira (20), após a aprovação do projeto de Daniella no Senado, o Ministério da Educação anunciou o adiamento do Enem.

O projeto não estabelece uma data para as provas, mas determina que “os processos seletivos de acesso à educação superior serão prorrogados, automaticamente, até o momento em que estejam concluídas, em todo o território nacional, as atividades do ano letivo no ensino médio”.

Perfil

A pesquisa do DataSenado foi realizada entre os dias 18 e 20 de maio, por telefone. Foram entrevistados 1.200 brasileiros com mais de 16 anos. O instituto destaca que a amostra utilizada é representativa da opinião da população brasileira.

Esse foi mais um levantamento do instituto sobre propostas em discussão no Senado que visam minimizar os efeitos da covid-19. Segundo a coordenadora do DataSenado, Laura Nascimento, o objetivo é subsidiar o trabalho parlamentar na definição de prioridades durante a pandemia.

O perfil dos que responderam à pesquisa indica que 43% são do Sudeste, 27% do Nordeste, 15% do Sul, 8% do Norte e 8% do Centro-Oeste. Do total, 53% são mulheres e 47%, homens.

Em relação à faixa etária, 26% dos que participaram do levantamento têm entre 16 e 29 anos; 20%, de 30 a 39 anos; 18%, entre 40 e 49 anos; 16%, de 50 a 59 anos; e 21%, 60 anos ou mais. Quanto à escolaridade, 34% não completaram o ensino fundamental; 16% tem o ensino fundamental completo; 29%, o ensino médio completo; e 21%, o ensino superior incompleto ou mais.

Os entrevistados foram questionados também sobre sua cor e raça: 57% responderam negra, indígena ou amarela; 43%, branca. Quanto à ocupação, 60% disseram estar ocupados; 10%, desocupados; 27%, fora da força de trabalho; e 3% não souberam ou preferiram não responder.

A renda familiar de 64% dos que participaram da pesquisa é de até dois salários mínimos; de 16%, mais de dois até cinco; de 6%, mais de cinco salários; 15% não souberam ou preferiram não responder. A maioria (54%) é católica; 30%, evangélica; 16% pertencem a outras religiões ou a nenhuma; e 1% não souberam ou preferiram não responder.

Laura Nascimento lembra que, devido ao arredondamento, a soma dos percentuais em alguns casos pode ser diferente de 100%. Para números com decimal menor que 0,5, foi mantida a parte inteira. E para aqueles com decimal maior ou igual a 0,5, adicionou-se uma unidade à parte inteira do número.

Fonte Oficial: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2020/05/22/datasenado-mostra-que-maioria-dos-brasileiros-apoia-adiamento-do-enem.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Cobertura de quimioterapia de uso oral em casa pode se tornar obrigatória; texto vai à Câmara — Senado Notícias

Planos de saúde poderão ser obrigados a cobrir quimioterapia de uso oral registrado na Anvisa …