Trabalho remoto na Justiça de Minas Gerais chega a 16,5 milhões de atos processuais

Desde a adoção do trabalho remoto no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), em 16 de março, os números chegam à marca de 16.571.649 atos processuais executados por juízes e servidores. Os números, apurados até o dia 28 de junho, indicam que 431.539 feitos foram distribuídos e  544.891 processos arquivados.

Juízes e desembargadores assinaram 778.236 decisões, sentenças e acórdãos. Outros 1.514.205 despachos foram publicados no Diário do Judiciário eletrônico (DJe) e Portal TJMG. Servidores e colaboradores movimentaram 13.704.838 atos judiciais exclusivamente no Processo Judicial eletrônico (PJe).

Ferramentas tecnológicas

O presidente Gilson Soares Lemes que tomou posse no cargo na última quarta-feira (1/7) credita os excelentes resultados obtidos pelo TJMG ao avanço já alcançado com a adoção de ferramentas tecnológicas, em especial, o Processo Judicial eletrônico (PJe). “Durante o período de isolamento social, com o trabalho em home office, foram executados quase 17 milhões de atos processuais, com a produção de mais de 700 mil sentenças e decisões que não poderiam aguardar o retorno das atividades presenciais.”

Lemes afirmou que uma das metas da sua gestão será exatamente implementar novas tecnologias, para garantir e ampliar o acesso remoto aos sistemas do TJMG. Presente a todas as varas cíveis, o PJe já chegou como projeto piloto a varas criminais. Desde 1º de junho, o processo eletrônico está implantado na 2ª Vara Criminal de Belo Horizonte.

A capacitação para utilização da plataforma eletrônica foi realizada durante o período da pandemia. A versão do sistema PJe será a mesma para os processos cíveis e utilizará a mesma plataforma tecnológica. As varas criminais especializadas, que têm fluxos específicos (por exemplo, as que julgam casos relacionados à Lei Maria da Penha), passam a utilizar o sistema em uma nova etapa.

A implantação na área criminal segue a base de planejamento e execução (definição de padrões, capacitação e equipamentos) utilizada na área cível, resguardadas algumas particularidades.

O sistema PJe é um software em desenvolvimento e aprimoramento pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em parceria com diversos tribunais, entre eles o TJMG. Investimentos constantes são realizados pelo TJMG e pelo CNJ, com o objetivo de minimizar as ocorrências de instabilidade e lentidão.

Fonte: TJMG

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/trabalho-remoto-na-justica-de-minas-gerais-chega-a-165-milhoes-de-atos-processuais/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=trabalho-remoto-na-justica-de-minas-gerais-chega-a-165-milhoes-de-atos-processuais.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Justiça do Trabalho da 15ª Região promove esforços concentrados pela conciliação

Aderindo ao Mês Nacional de Conciliação, promovido pela Justiça do Trabalho, e à Semana Nacional …