Juizado de Garanhuns (PE) realiza primeira transação penal por videoconferência

Em decorrência do trabalho remoto do Judiciário por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) tem inovado diversas ações e procedimentos utilizando a tecnologia, criatividade e empenho de seus colaboradores. O caso mais recente foi a realização da primeira audiência de transação penal por videoconferência pelo Juizado Especial Criminal (Jecrim) da Comarca de Garanhuns, na última terça-feira (7/7).

A audiência foi promovida pela magistrada Karla Peixoto, por meio da plataforma Cisco Webex do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), e teve a participação do Ministério Público e Defensoria Pública do Estado, além do apoio da Polícia Militar, atendendo ao Termo de Cooperação Técnica nº 1. Com a ajuda policial foi baixado o aplicativo no celular do autor do fato que, primeiramente, foi submetido à entrevista prévia com o defensor público, Aguinaldo de Barros. Na sequência, a promotora de justiça, Mariana Cândido, apresentou as propostas de transação penal e o autor aceitou a prestação de serviço à comunidade.

A magistrada do Jecrim destaca que a audiência contou com o expediente de apenas dois servidores, um atuou previamente nos atos preparatórios: realizando o agendamento, as providências cartorárias e mantendo contato com o autor do fato. E o outro foi o administrador da sala, entrou na reunião e fez os convites a todos que participaram da audiência por videoconferência.

“Essa nova situação demandou um desprendimento de energia maior da equipe, pois a logística é um pouco complexa, sobretudo se considerarmos que parte significativa dos nossos jurisdicionados não têm habilidade com informática. Mas estamos orientando o passo a passo, mediante chamadas de vídeo pelo WhatsApp, aos autores do fato, a fim de que baixem o aplicativo em seus celulares. Para isso, a unidade adquiriu um chip de celular apenas para o conciliador realizar tal função.”

Na próxima semana, o Jecrim de Garanhuns tem mais sete audiências agendadas por videoconferência, e de acordo com as experiências que surgirem, será formado um protocolo para uniformizar todos os procedimentos. Dessa forma, são muitas novidades e até mesmo a intimação é feita agora via WhatsApp pela equipe do juizado, mediante certidão nos autos.

“Buscamos cumprir todas as formalidades legais, oportunizando entrevista prévia e sigilosa do autor do fato com o defensor público e, só depois, realizamos a audiência. Outro ponto importante é que a adesão dos jurisdicionados está sendo positiva. Inclusive, um autor do fato telefonou para o Jecrim essa semana e solicitou o agendamento, mediante encaixe, da audiência de transação penal dele”, conclui a juíza Karla Peixoto.

Fonte: TJPE

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/juizado-de-garanhuns-pe-realiza-primeira-transacao-penal-por-videoconferencia/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=juizado-de-garanhuns-pe-realiza-primeira-transacao-penal-por-videoconferencia.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

5ª Vara Criminal de São Luís (MA) divulga medidas de prevenção à Covid-19

A 5ª Vara Criminal da Comarca da Ilha de São Luís (MA) publicou portaria que …