Judiciário do Rio Grande do Sul alcança a marca de 1 milhão de processos eletrônicos

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS) atingiu marca de 1.078.995 milhão de processos eletrônicos tramitando nos dois graus de jurisdição. Visando à transformação digital, o Judiciário gaúcho caminha para se tornar 100% virtual. Tramitam na Justiça gaúcha atualmente 3,3 milhões de processos. “Nossos servidores e magistrados estão de parabéns pelo alcance da marca em curto espaço de tempo, e estamos firmes e determinados em transferir a totalidade dos processos para o meio virtual”, elogia o presidente do Conselho de Informática do TJRS, desembargador Alberto Delgado Neto.

Para o magistrado, o avanço do processo eletrônico “demonstra o empenho da administração em consolidar um ambiente virtual pleno na jurisdição, atendendo a sociedade de forma mais célere, eficaz e barata”. Ainda, avalia, a medida resulta de “uma opção política das administrações do Tribunal de Justiça, direcionando recursos e capacitando profissionais, apesar das dificuldades financeiras e orçamentárias”.

Do total de processos eletrônicos, 650 mil foram distribuídos pelo eProc, sistema cedido gratuitamente pelo TRF4 e que incorpora diversas inovações, como videoconferências e inteligência artificial. Desse montante, aproximadamente 150 mil já foram baixados, demonstrando agilidade e eficiência. Os demais tramitam no sistema e-Themis. De acordo com o diretor da Direção de tecnologia da Informação e Comunicação (DITIC), Antonio Braz, com a implantação na matéria Criminal e na Infância e Juventude, a expectativa é que o ingresso passe a ser 100% eletrônico até o final de 2020.

Além disso, o TJRS implantou uma força-tarefa para a digitalização de processos físicos, que já resultou na conversão de mais de 5 mil processos para o meio eletrônico. E, também a concorrência aberta para a contratação de uma empresa especializada que fará a digitalização em larga escala dos processos ativos, já está em fase recursal. A expectativa é de que a assinatura ocorra em agosto.

“Com o início do projeto de digitalização em larga escala, haverá uma aceleração da curva de processos eletrônicos em relação aos físicos, o que estamos buscando com diversas ações para sua antecipação”, considera Braz, ressaltando que os projetos de implantação do eproc e de digitalização são complementares e interdependentes e foram priorizados pela administração do Tribunal.

Fonte: TJRS

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/judiciario-do-rio-grande-do-sul-alcanca-a-marca-de-1-milhao-de-processos-eletronicos/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=judiciario-do-rio-grande-do-sul-alcanca-a-marca-de-1-milhao-de-processos-eletronicos.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Julgamentos de ações vão determinar reabertura das escolas particulares, decide presidente do TJRJ

As escolas particulares do município do Rio de Janeiro continuarão fechadas. A prefeitura ingressou com …