Comunidade acadêmica pode inscrever artigos na nova edição da Revista CNJ

Seguindo a linha editorial com foco no tema “Poder Judiciário: eficiência, transparência e responsabilidade”, mestres ou doutores formados em universidades públicas ou privadas poderão ter seus trabalhos inéditos publicados na Revista Eletrônica do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) cuja edição será publicada em dezembro. O prazo para os interessados encaminharem seus artigos vai até dia 24 de setembro.

Para fazer seu cadastro e submeter o artigo eletronicamente no sistema, clique aqui.

Veiculada semestralmente, a Revista Eletrônica CNJ foi criada para disseminar trabalhos acadêmicos que tenham por objeto o Poder Judiciário e a prestação dos serviços jurisdicionais no Brasil.

Após verificar a adequação do texto às normas de publicação, o trabalho será submetido à análise prévia da coordenação, para que seja observada a sua adequação à linha editorial da Revista CNJ.

Os artigos serão remetidos à análise técnica de pareceristas anônimos, com doutorado na área, indicados pelo Conselho Editorial da publicação. Todos os elementos que permitam a identificação de seus autores serão suprimidos, seguindo sistema do double blind peer review (formato duplo-cega), que não permite a distinção entre os autores.

Os autores dos trabalhos podem ser pós-graduados em nível de mestrado, doutorado ou pós-doutorado. Serão aceitas publicações com até três autores, desde que um deles tenha a devida formação.

O texto – escrito obrigatoriamente em português – deverá seguir os padrões de estilo e requisitos bibliográficos descritos nas Diretrizes para Autores. As citações em línguas estrangeiras devem ser obrigatoriamente traduzidas.

A publicação é coordenada pelo Secretário Especial de Programas, Pesquisas e Gestão Estratégica, juiz Richard Pae Kim, e organizada pelo Departamento de Pesquisas Judiciárias (DPJ).

Após a publicação na Revista CNJ, os trabalhos poderão ser divulgados em outros veículos, desde que citada a fonte original. A seleção não envolve qualquer remuneração pela avaliação e publicação dos artigos na Revista CNJ nem qualquer tipo de mídia impressa (papel) ou eletrônica (Internet, CD-Rom, e- book, etc.).

Edições anteriores

O primeiro volume da revista, lançada em 2015, reuniu análises sobre os principais temas relacionados à atuação do CNJ. O segundo volume, lançado em 2017/2018, reuniu conteúdos produzidos por profissionais do CNJ sobre diversos temas, como a Interoperabilidade e a Violência Institucional no Sistema Prisional; os desafios do Sistema de Julgamento Concentrado de Demandas Repetitivas e as Condenações e Absolvições do Tribunal do Júri. A terceira edição da Revista CNJ abordou a temática da Eficiência, Transparência e Responsabilidade no Poder Judiciário. Em junho deste ano, foi lançada a Edição comemorativa dos 15 anos de instalação do Conselho Nacional de Justiça.

Regina Bandeira
Agência CNJ de Notícias 

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/comunidade-academica-pode-inscrever-artigos-na-nova-edicao-da-revista-cnj/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=comunidade-academica-pode-inscrever-artigos-na-nova-edicao-da-revista-cnj.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Judiciário terá reserva de vagas de estágio para negros

Os processos seletivos para estágio nos órgãos do Poder Judiciário deverão reservar, no mínimo, 30% …