Práticas para XI Prêmio Conciliar é Legal serão recebidas em setembro

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) divulgou as regras para participação no Prêmio Conciliar é Legal, que chega a sua 11ª edição neste ano. As inscrições poderão ser realizadas entre 8 a 11 de setembro, por meio de formulário a ser disponibilizado no portal eletrônico do CNJ. No caso das categorias “Tribunal” e “Juiz individual”, as inscrições deverão ser realizadas por meio do Portal CNJ de Boas Práticas do Poder Judiciário.

O Prêmio Conciliar É Legal é entregue pelo CNJ desde 2010 e tem como objetivo identificar, disseminar e estimular ações de modernização na Justiça, sobretudo, aquelas que contribuem para a pacificação de conflitos por meio da conciliação e da mediação. Podem concorrer: tribunais, magistrados, servidores, instrutores de mediação e conciliação, instituições de ensino, professores, estudantes, advogados, usuários da Justiça, empresas ou qualquer ente privado, mediante a apresentação de práticas autocompositivas executadas individualmente ou em grupo.

O presidente da Comissão Permanente de Solução Adequada de Conflito, Henrique Ávila, destaca que o Prêmio Conciliar é Legal é um projeto consolidado no CNJ. “E, neste ano, devido à situação de crise sanitária experimentada pela pandemia da COVID-19, deverão surgir projetos bastante contemporâneos à realidade que, por um lado, exige o afastamento social como medida de prevenção e, por outro, requer atuação mais incisiva do Judiciário”, afirma. Os prêmios serão entregues em cerimônia a ser realizada, preferencialmente, na primeira sessão ordinária do CNJ em 2021.

Leia mais: CNJ 15 anos: Conciliação envolve cidadão na solução de conflitos

Banco de práticas de sucesso

Uma das novidades deste ano é que práticas apresentadas por magistrados e tribunais deverão previamente figurar no Portal CNJ de Boas Práticas do Poder Judiciário para concorrer à premiação. O Portal funciona como um repositório de práticas de sucesso adotadas pelos tribunais brasileiros, para que sejam conhecidas e reaplicadas em todo o País. O processo de análise de resultados inclui a aprovação em plenário do CNJ para a inclusão no Portal. As práticas já apresentadas no período de 1° de janeiro até 22 de julho de 2020 passam a concorrer ao prêmio automaticamente.

Leia mais: Portal de boas práticas reúne 28 iniciativas do Judiciário

Outra mudança no regulamento diz respeito ao número de categorias. Neste ano, são apenas sete categorias: tribunal; juiz individual; instrutores de mediadores e conciliadores; instituições de ensino; mediação e conciliação extrajudicial; demandas complexas ou coletivas; e empresa ou grupo empresarial. Os detalhes e regras de cada categoria constam no regulamento, que pode ser acessado aqui.

A comissão avaliadora irá considerar dois eixos para análise das iniciativas inscritas: “Boas Práticas” e “Produtividade”. No eixo de Boas Práticas, serão avaliados a eficiência, restauração das relações sociais, criatividade, replicabilidade, alcance social, desburocratização, efetividade, satisfação do usuário, ausência ou baixo custo para implementação da prática e inovação. Já a premiação no eixo “Produtividade”, independentemente de inscrições, contemplará os Tribunais Estaduais, Federais e Trabalhistas que alcançarem o Índice de Composição de Conflitos (ICoC) mais elevado, dentro de seu segmento de Justiça, levando em conta os dados obtidos nos 12 meses que precedem a Semana Nacional da Conciliação, com observância das fórmulas e glossários constantes no regulamento do Prêmio.

Paula Andrade
Agência CNJ de Notícias

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/praticas-para-xi-premio-conciliar-e-legal-serao-recebidas-em-setembro/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=praticas-para-xi-premio-conciliar-e-legal-serao-recebidas-em-setembro.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Justiça Eleitoral do Espírito Santo lança cartilha com biografia dos presidentes do Tribunal

O Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo (TRE-ES), por meio da Comissão de Preservação e …