Comissão do Tribunal do Amapá decide adiar retorno gradual das atividades para 17/8

Conduzida pelo desembargador-presidente João Lages, na 9ª e última reunião ordinária, realizada nesta quarta-feira (29/7), a Comissão do Retorno Gradual das Atividades Presenciais do Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP) decidiu pelo adiamento da retomada dos atendimentos presenciais do Poder Judiciário. Agendada para 3 de agosto, agora a previsão de retorno gradual ficou para o dia 17 de agosto.

A medida foi tomada com base na proposta apresentada pelo presidente do Comitê Estadual de Saúde do Judiciário (CES-JUS), desembargador Carlos Tork. De acordo com ele, as informações fornecidas pela Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS) – que faz o acompanhamento sanitário, de saúde e epidemiológico da pandemia do coronavírus no estado – demonstram um agravamento das internações de crianças nas últimas semanas, tendendo a repercutir em idosos devido às comorbidades. “As crianças são mais resistentes, mas a potencial exposição dos idosos é temerária.”

O presidente do TJAP ressaltou que o Comitê de Saúde do Judiciário tem feito um trabalho primoroso. “E tenho certeza de que as recomendações ali produzidas são debatidas com os especialistas certos e com total propriedade e segurança para acatarmos.”

Também nesta última reunião do Comitê, o titular da 7ª Vara do Juizado Especial Cível da UNIFAP, juiz Carlos Alberto Canezin, disponibilizou sua unidade judicial para servir de piloto para o retorno gradual ao atendimento presencial já a partir do dia 3 de agosto, devido às suas características diferenciadas. “Como é um ambiente mais isolado e está praticamente deserto com a quarentena, temos a possibilidade de fazer um atendimento ao ar livre, levando nossa equipe e estruturas necessárias para áreas abertas e ventiladas, iniciando um atendimento presencial para testar a demanda e as demais soluções já disponíveis, como as pias sanitárias, totens de álcool gel etc.”

Seguindo o exemplo, o titular da 3ª Vara Cível do de Fazenda Pública de Santana e presidente da Associação dos Magistrados do Amapá (AMAAP), juiz José Bonifácio Lima da Mata, também prontificou sua unidade e equipe para atendimento piloto na comarca santanense. “Podemos fazer algo semelhante, ampliando o teste para Santana e avaliando como se dará o atendimento aos jurisdicionados por lá.”

O desembargador-presidente agradeceu a iniciativa e assentiu com a proposta dos juízes. A presidente do Sindicato dos Serventuários da Justiça do Amapá (SINJAP), servidora Anne Marques, registrou o reconhecimento dos esforços da alta gestão em prol da segurança de servidores, jurisdicionados e magistrados. “Parabenizo o desembargador-presidente Lages por sua postura desde o início destas reuniões, preocupado com a prestação jurisdicional mas sempre dando prioridade à saúde de todos, o que muito orgulha a categoria.”

Ao final da reunião, também ficou aprovado que este seria o último encontro em caráter ordinário, sendo convocada novamente, em caráter extraordinário, em caso de necessidade por conta de algum dado novo que eventualmente acarrete mais adiamentos. “Logo após a nossa reunião levei a proposta do adiamento por mais 15 dias aos nossos órgãos irmãos, Ministério Público do Amapá (MP-AP), Defensoria Pública Estadual (DPE) e OAB/AP”, afirmou Lages. “Também apresentarei nossa decisão na manhã desta quinta-feira, ao governador Waldez Góes, por ocasião da reunião do Comitê Gestor Estadual.”

Fonte: TJAP

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/comissao-do-tribunal-do-amapa-decide-adiar-retorno-gradual-das-atividades-para-17-8/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=comissao-do-tribunal-do-amapa-decide-adiar-retorno-gradual-das-atividades-para-17-8.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Primeira semana de retorno das perícias em Pernambuco tem resultados positivos

As perícias judiciais nas varas com competência de Juizados Especiais Federais (JEFs) da Seção Judiciária …