Tributos, telecomunicações e intervenções estatais foram discutidos no terceiro dia congresso – OAB

Os reflexos da pandemia em vários setores como tributário e
de telecomunicações foram discutidos nos painéis que aconteceram, nesta
quarta-feira (29), no I Congresso Digital Nacional da OAB. O debate pautado em
temas como carga tributária, repartição de receitas, inadimplência e a
possibilidade de uma reforma tributária orientou os painéis “Impactos
tributários da pandemia da covid-19 para o Brasil” e “Tributos e finanças em
tempos de pandemia”.

Nas discussões do primeiro painel, os palestrantes
destacaram como a crise sanitária repercute na economia, inclusive na
arrecadação de impostos, afetando municípios, Estados e União. “Existem alguns
pontos da nossa legislação tributária que precisamos enfrentar para que se
pense em fôlego na economia. E isso não passa pelo aumento de tributos”,
ressaltou o professor Eduardo Sabbag, coordenador da Estácio CERS. Também
marcou presença no painel a advogada tributarista, Stael Freire.

Já o painel “Tributos e finanças em tempos de pandemia”
tratou em linhas gerais do enfrentamento da situação atual e garantia da
justiça tributária no Brasil. Para os debatedores, é essencial se pensar a
questão tributária sem tomar decisões precipitadas motivadas pela crise e que
poderão ser instaladas de forma permanente num momento posterior.

Os painelistas concordaram que é preciso propor uma
tributação justa que abranja aspectos microeconômicos, tais quais a
distribuição de renda e o incentivo fiscal para atividades-chave. “Não é
possível pensar num Brasil pós pandemia, fora do caos, se não revermos o
sistema tributário que é um dos mais injustos do mundo. A responsabilidade
fiscal deve andar paralelo à responsabilidade social” pontuou a senadora Simone
Tebet.

Telecomunicac¸o~es e Economia Digital

O painel “Telecomunicações e a nova economia digital em
tempos de pandemia” contou com a participação da senadora Daniella Ribeiro
(PP-PB), do ministro das Comunicações, Fábio Faria, e do presidente da ANATEL,
Leonardo Euler de Morais. As autoridades abordaram temas como aumento da
conectividade no Brasil, infraestrutura de telecomunicações, ampliação de redes
e novas possibilidades e recursos para que a população do interior do país
possa ter acesso às novas tecnologias.

O ministro Fábio Faria falou ainda sobre os “desertos
digitais” que existem no país e que a pandemia mostrou a necessidade de se
avançar em todas regiões para ampliar a oferta de internet e telefonia móvel
nesses locais. Ele afirmou ainda que é possível atuar junto com as operadoras
para garantir conectividade, internet e telefonia móvel, atuando para ampliar a
qualidade de vida e o oferecimento de serviços em milhares de municípios e
distritos de todo o Brasil.

Intervenções estatais

No painel “Intervenções Estatais na Propriedade e na
Liberdade em tempos de pandemia” a presidente da Comissão de Igualdade
Racial da OAB-SP e presidente do GELEDÉS – Instituto da Mulher Negra, Maria
Sylvia Aparecida de Oliveira, destacou que uma parcela da população tem seus
direitos sistematicamente negados apesar das previsões formais, inclusive
constitucionais. “Negros e negras são uma parcela da população para o qual
nunca se reconheceu as liberdades civis e estão alijadas dos direitos
previstos”, afirmou. Para Maria Sylvia, o direito é um elemento importante
na estruturação do racismo e citou contextos de formação legal ao longo do
século XIX para exemplificar seu argumento.

O vice presidente da OAB-AL, Vagner Paes Cavalcanti Filho, analisou
as restrições previstas na Lei 13.979/2020, que dispõe sobre as medidas para
enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente da pandemia, e seus
impactos sob o ponto de vista da constitucionalidade dos dispositivos ali
contidos. Segundo ele, o ordenamento não pode ser visto como algo estático,
imutável e acabado e sugeriu a aplicação do conceito da ponderação para lidar
com as restrições conflitantes trazidas na lei frente aos princípios
constitucionais.

Neste terceiro dia de evento, também merece destaque a
atuação da presidente da Comissão Especial de Direito Internacional da OAB
Nacional, Ana Beatriz Presgrave, que foi moderadora do painel sobre “O Impacto
da COVID-19 no Direito Internacional”; da vice-presidente da OAB-AP, Patrícia
de Almeida Barbosa, no painel “O Futuro do Mercado Jurídico, da Gestão
Tecnológica dos Escritórios e do Trabalho” e da vice-presidente da OAB-RJ, Ana
Tereza Basílio, no painel “A Contribuição de Sylvio Capanema ao Direito”.  

 

 

Fonte Oficial: http://www.oab.org.br/noticia/58339/tributos-telecomunicacoes-e-intervencoes-estatais-foram-discutidos-no-terceiro-dia-congresso.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

OAB realiza webinar em comemoração aos 30 anos do CDC – OAB

A OAB Nacional, por meio da Comissão Especial de Defesa do Consumidor e com a …