TJ do Acre reforça compromisso no combate à violência contra mulher

No dia em que a Lei Maria da Penha completou 14 anos de promulgação, o Tribunal de Justiça do Acre assinou na sexta-feira (7/8) o Termo de Cooperação Técnica com o governo do estado, em apoio ao programa Patrulha Maria da Penha com o  Botão da Vida, reforçando o seu compromisso com o enfrentamento à violência contra a mulher. Participaram da solenidade, o presidente do Poder Judiciário do Acre, desembargador Francisco Djalma, assim como a Coordenadora das Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Comsiv), desembargadora Eva Evangelista, e a coordenadora do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos, desembargadora Waldirene Cordeiro.

Também assinaram o termo o Ministério Público Estadual e a Defensoria Pública do Estado. O encontro marcou ainda o lançamento da campanha “Agosto Lilás”, em que o palácio Rio Branco foi iluminado na cor lilás marcando o início de diversas atividades que serão realizadas no intuito de fortalecer o combate à violência contra a mulher. A sede do TJAC também ficará iluminada na mesma cor.

O presidente do TJAC, Francisco Djalma parabenizou o governo estadual pela iniciativa, ressaltou o compromisso do Poder Judiciário do Acre, que  atua não somente em processos, e comentou sobre as diversas ações tão bem realizadas, por meio da Comsiv, que reforça esse compromisso. “Parabenizo o governo do estado pela atuação e agradeço a parceria nas ações de enfrentamento à violência contra a mulher. O Poder Judiciário do Acre tem um claro compromisso com essa luta. A desembargadora Eva, que está a frente da coordenadoria, faz, junto a sua equipe, um excelente trabalho.”

Instituída pela Resolução nº 128 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a Coordenadoria Estadual das Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Familiar é uma ferramenta essencial no combate às agressões de gênero. Infelizmente o Acre há três anos é o primeiro lugar no ranking nacional de feminicídio. Somente este ano, nove mulheres já foram mortas, por isso, a  atuação da Comsiv é diária e incansável para garantir que mulheres vivam sem violência e deixem de ser alvos de ameaças, agressões, estupros e assassinatos.

A desembargadora Eva Evangelista, fez questão de frisar que no dia posterior a 6 de agosto, que marca o início da Revolução Acreana, culminando na incorporação do Acre ao Brasil, pelo Tratado de Petrópolis, resultou em uma noite memorável, pois, segundo ela, mesmo com a pandemia do novo coronavírus ainda em curso no Acre, a solenidade assinala os 14 anos da sanção da Lei Maria da Penha, e a iniciativa do governo do Acre merece realce, ao proporcionar a reflexão necessária sobre os avanços e desafios da terceira melhor lei do mundo de proteção à mulher, contudo, reforçou que “não bastam leis para a solução da chaga social que coloca o Acre no pódio do feminicídio”.

A desembargadora frisou a importância da parceria institucional e da atualização do “Botão da Vida”, aplicativo de celular desenvolvido pela Secretaria de Estado de Indústria, Ciência e Tecnologia (SEICT), em funcionamento desde março de 2019. “É um instrumento da tecnologia conjugado à Vara de Proteção à Mulher de Rio Branco e à Patrulha Maria da Penha com a finalidade de oferecer proteção e atendimento à mulher beneficiada com medidas de proteção de urgência. Trata-se, com efeito, de um marco das políticas públicas da prevenção, do enfrentamento e combate à violência contra a mulher. O Termo de Cooperação que será firmado entre poderes e instituições que integram o Sistema de Justiça e responsáveis pelas políticas públicas representa compromisso indissociável de seus representantes para a construção da paz nas famílias e na sociedade.”

Conscientização e responsabilização

Em 2019 e 2020, a Coordenadora das Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Familiar fortaleceu a Rede Estadual de Proteção à Mulher nos municípios do Acre. A medida teve objetivo de ampliar o trabalho, chegando até mesmo aos locais mais isolados e de difícil acesso do estado.

Outra importante atuação do TJAC é com o Programa de Conscientização pela Paz em Casa, lançado em abril de 2019, que leva palestras e rodas de conversas a escolas municipais e estaduais. As palestras são outra frente de atuação para conscientizar crianças, jovens e adolescentes sobre essa situação e evitar, à longo prazo, a perpetuação desse tipo de crime.

Informações sobre a Lei Maria da Penha, cultura da paz e desconstrução do machismo foram alguns dos conteúdos abordados nos encontros com estudantes. O Poder Judiciário atua também com o Grupo Reflexivo “Homens em Transformação”, que trabalha para desconstruir o preconceito contra o gênero feminino, desenvolvido pela Vara de Execuções Penais e Medidas Alternativas da Comarca de Rio Branco (Vepma).

A proposta é conscientizar os participantes do grupo, que são autores de violência doméstica e ainda cumprem parte da pena, a mudar o pensamento, evitando atitudes machistas e a reincidência em delitos dessa natureza.

Fonte: TJAC

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/tribunal-de-justica-do-acre-reforca-compromisso-no-combate-a-violencia-contra-mulher/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=tribunal-de-justica-do-acre-reforca-compromisso-no-combate-a-violencia-contra-mulher.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Projeto no Espírito Santo ouve necessidades e esclarece direitos de pessoas presas

Durante o período de distanciamento social, a Vara de Execuções Penais de Vila Velha (ES) …