Covid-19: sistema prisional e socioeducativo registram 27 mil casos

O número de infectados pelo novo coronavírus em unidades do sistema prisional brasileiro registrou um aumento de 61,7% nos últimos 30 dias, chegando a 24.200 casos e a 165 óbitos. O acompanhamento é uma iniciativa do Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e do Sistema de Execução de Medidas Socioeducativas do Conselho Nacional de Justiça (DMF/CNJ) e é o único em escala nacional com dados sobre contágios e óbitos também entre servidores e sobre a situação da pandemia no sistema socioeducativo, que chegou a 3.049 ocorrências nesta semana – crescimento de 31,5% ao longo do período.

Confira o boletim de contaminações e óbitos 

Também foram atualizados nesta quarta-feira (19) dados sobre o acompanhamento que vem sendo feito pelos Grupos de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e do Sistema de Execução de Medidas Socioeducativas (GMF) de Tribunais de Justiça.

No total, 26 estados têm detalhado informações sobre recursos disponíveis para o enfrentamento à Covid-19 em estabelecimentos prisionais, tais como equipamentos de proteção individual (EPIs), alimentação, fornecimento de água e material de higiene e limpeza, além de medicamentos e equipes de saúde. No caso do sistema socioeducativo, há dados disponibilizados por 25 Unidades da Federação.

Confira o boletim de monitoramento dos GMF

Quanto à testagem, os GMFs informaram que foram realizados 28.804 exames para a Covid-19 em pessoas presas – o que corresponde a 3,9% da população carcerária no país. Entre servidores foram aplicados 26.766 exames, o equivalente a 21% do contingente de trabalhadores nesses estabelecimentos. Há ainda outros 16.599 testes realizados em unidades prisionais em estados que não distinguiram a que segmento foram destinados – é o caso de Ceará e Distrito Federal. No socioeducativo, houve testagem de 4.391 adolescentes privados de liberdade e de 9.397 trabalhadores dessas unidades, em 23 estados. O Mato Grosso do Sul não distinguiu as categorias  de público de seus 180 exames realizados.

Ainda de acordo com o monitoramento do GMF, 21 unidades federativas informaram atividades realizadas por seus comitês de acompanhamento e combate à propagação da doença. Já quanto à destinação de verbas de penas pecuniárias para o combate à pandemia, 22 estados comunicaram a adoção da medida, com um montante que totaliza R$ 56,4 milhões.

Enquanto Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Piauí e Rio Grande do Sul registraram o recebimento de aportes federais para ações de combate à Covid-19 nos ambientes de privação de liberdade, São Paulo e Paraná receberam recursos do Tesouro estadual. A Justiça estadual e órgãos como o Ministério Público do Trabalho também dispuseram de valores encaminhados a estados como Sergipe, e no Mato Grosso do Sul há aportes oriundos da retenção de 10% de recursos advindos do trabalho de pessoas presas.

Contaminações e óbitos

O boletim semanal do CNJ sobre contágios e óbitos por Covid-19 é publicado às quartas-feiras a partir de dados dos poderes públicos locais e ocorrências informadas ao Departamento Penitenciário Nacional (Depen). O levantamento aponta que nos últimos sete dias foram registrados 1.488 novos casos de coronavírus entre pessoas privadas de liberdade e 235 entre servidores. No caso do sistema socioeducativo, somente nesta semana foram 121 novos casos  entre servidores e 76 entre reeducandos.

Em um esforço de fornecer mais parâmetros para leitura e compreensão dos dados sobre os números da Covid-19 em espaços de privação de liberdade, a partir desta edição o boletim semanal também incluirá informações sobre a realização de testagem para detecção de contaminações nos sistemas prisional e socioeducativo.

Isso porque a incidência de casos da doença em cada Unidade da Federação deve ser analisada à luz dos contextos locais, e UFs que apresentam maior número absoluto de casos registrados não são necessariamente aquelas com situação mais alarmante.

“Aspectos como o tamanho da população privada de liberdade, a política de testagem adotada e os processos de divulgação dos dados em cada unidade federativa devem ser considerados na análise da situação local”, aponta o boletim.

O levantamento e sistematização de informações sobre Covid-19 em estabelecimentos penais e no sistema socioeducativo é uma iniciativa do DMF/CNJ em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD Brasil) e apoio do Ministério da Justiça e Segurança Pública, para superar desafios estruturais dos sistemas de privação de liberdade no país.

 

Marília Mundim
Agência CNJ de Notícias 

 

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/covid-19-sistema-prisional-e-socioeducativo-registram-27-mil-casos/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=covid-19-sistema-prisional-e-socioeducativo-registram-27-mil-casos.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Justiça do Trabalho da 15ª Região promove esforços concentrados pela conciliação

Aderindo ao Mês Nacional de Conciliação, promovido pela Justiça do Trabalho, e à Semana Nacional …