Justiça em Números: Roraima atinge produtividade máxima pela quinta vez consecutiva

A edição 2020 do relatório Justiça em Números do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) foi divulgada na terça-feira (25/8), apontando os tribunais mais produtivos do Brasil, por meio do Índice de Produtividade Comparada da Justiça (IPC-Jus). E o Tribunal de Justiça de Roraima (TJRR) atingiu mais uma vez o índice de 100%, junto com os tribunais de Justiça de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Sergipe e Amazonas.

O IPC-Jus é um comparativo produzido com base no índice de produtividade dos magistrados (IPM), no índice de produtividade dos servidores (IPS), na despesa total do tribunal e na taxa de congestionamento (TC), sendo esse último quesito um dos mais positivos para o TJRR, que detém o menor percentual entre todos os tribunais do Brasil (49%), ou seja, possui menor número de casos pendentes de solução em relação ao ano que iniciou a tramitação. A média nacional de congestionamento de processos é de 68,5%.

Além da menor taxa de congestionamento, o TJRR também foi apontado pelo CNJ como o tribunal com o menor tempo de giro de processo entre os tribunais da categoria Justiça Estadual. No Poder Judiciário de Roraima, o tempo médio de tramitação de um processo, desde a entrada até a solução definitiva, é de apenas um ano. Trata-se do menor tempo do país, que possui uma média de dois anos e cinco meses.

Outro ponto de destaque para Roraima no relatório do CNJ é quanto ao acesso à Justiça. O TJRR aumentou o IAD (Índice de Atendimento à Demanda) e atingiu o percentual de 110%, ou seja, aumentou a realização de serviços para as pessoas mais carentes.

Para o presidente do Poder Judiciário de Roraima, desembargador Mozarildo Cavalcanti, esse relatório demonstra mais uma vez o nível de eficiência que o TJRR possui, com altos índices de produtividade e transparência. “Esse é um diagnóstico importante, que nos serve como referência e incentivo para continuarmos investindo cada vez mais em inovação e no aperfeiçoamento de magistrados e servidores, visando garantir a melhor prestação jurisdicional.”

O corregedor-geral de Justiça, desembargador Almiro Padilha, destaca que esse resultado reflete o trabalho de todos: magistrados, servidores, terceirizados e estagiários, além da contribuição importantes de parceiros como o Ministério Público de Roraima, Defensoria do estado, OAB-RR e Polícia Civil. “Devemos esse desempenho a todo o trabalho, esforço e dedicação dos membros do Tribunal de Justiça de Roraima e parceiros, que atuam focados em apenas um alvo: o melhor atendimento ao nosso jurisdicionado. Esse é o nosso maior incentivo para desenvolvermos nosso trabalho com compromisso e qualidade.”

Conciliação

Outro dos vários resultados positivos atingidos pelo TJRR foi o índice de conciliação. O documento do CNJ mostra que, além de se manter acima do índice nacional da categoria Justiça Estadual (11,3%), o Poder Judiciário de Roraima superou o próprio percentual da edição passada (13,2%), com 15,7% no último relatório.

Dentre as ações que contribuíram para este resultado estão o Mês Estadual da Conciliação – ConciliaRR, a criação da Câmara de Conciliação da Saúde, e a reativação do Polo de Conciliação Indígena, além da constante atuação concentrada dos Centros Judiciários de Conciliação do TJRR, que funcionam em todas as comarcas.

O juiz-coordenador do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos, Aluizio Vieira, destaca que o Poder Judiciário de Roraima tem como uma das metas o incentivo à conciliação processual e pré-processual e com isso, o aumento dos acordos em todo o Estado, evitando a judicialização e reduzindo o tempo de resolução de conflitos.

“Temos trabalhado fortemente na área da conciliação por acreditar que este é um dos caminhos mais céleres e eficazes para promover e garantir a paz social. Assim, além de equipes em constantes capacitações e atualizações, temos nos dedicado às mobilizações concentradas para desafogar a Justiça das ações mais recorrentes, que podem ser resolvidas por meio do trabalho de conciliadores.”

Fonte: TJRR

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/justica-em-numeros-roraima-atinge-produtividade-maxima-pela-quinta-vez-consecutiva/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=justica-em-numeros-roraima-atinge-produtividade-maxima-pela-quinta-vez-consecutiva.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Justiça do Trabalho da 15ª Região promove esforços concentrados pela conciliação

Aderindo ao Mês Nacional de Conciliação, promovido pela Justiça do Trabalho, e à Semana Nacional …