Enfam inaugura curso pioneiro de mestrado profissional – STJ

​Foi aberto nesta segunda-feira (31) o Curso de Mestrado Profissional da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam), dirigido a magistrados federais e estaduais. É a primeira vez na América Latina que uma escola de magistratura tem seu próprio programa de pós-graduação. O evento foi realizado on-line e contou com a participação dos presidentes do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Humberto Martins, e do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, além de ministros do STJ e outras autoridades.​​​​​

“Uma escola de magistratura forte pode mudar a realidade social”, disse o ministro Humberto Martins na solenidade por videoconferência. | Foto: Rafael Luz / STJ

“A existência de uma escola de magistratura forte pode mudar a realidade social de um país e a percepção da qualidade e da legitimidade das decisões judiciais”, declarou o ministro Humberto Martins. Segundo ele, o país necessita de magistrados capazes, independentes e preocupados com a redução das desigualdades, a proteção dos vulneráveis, a tolerância entre os indivíduos e a probidade. “É mais um instrumento para atingirmos as expectativas justas impostas sobre nós, magistrados, pela Constituição.”

O presidente do STF e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Dias Tofolli, falou sobre os desafios da magistratura, apresentando números a respeito do volume de processos judiciais, bem como o aumento da produtividade e da efetividade no Judiciário, em razão das novas tecnologias e do trabalho realizado pelos quase 19 mil magistrados. “É importante que o Judiciário caminhe unido, sem divisões, e esteja compromissado com os cidadãos mais vulneráveis, que mais precisam de justiça, garantindo direitos básicos”, afirmou.

Também participaram do evento virtual o ministro da educação, Milton Ribeiro; o advogado-geral da União, José Levi; o presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), Eduardo André; o ministro conselheiro e diretor do Centro Judicial de Portugal, João Miguel; a presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Renata Gil, além de membros dos poderes públicos federal e estadual.

Formação perman​​ente

O diretor-geral da Enfam e idealizador do programa, ministro Herman Benjamin, falou do pioneirismo do curso – aprovado pelo Conselho Nacional de Educação e pela Capes, do Ministério da Educação – e de seu papel na formação continuada de magistrados, com foco na gestão judiciária e no tratamento de conflitos. De acordo com o ministro, a iniciativa tem como pontos principais “ética, integridade e inovação, buscando o constante aprimoramento do sistema de Justiça e da prática jurisdicional”.

Em seguida, o ministro Og Fernandes ressaltou o papel de Herman Benjamin nesse fato inédito. “Somos todos educadores, seja na atividade-fim, seja na atividade-meio. É uma rica possibilidade que o ministro Herman, com capricho e atenção, conseguiu atrair para a escola de maneira pioneira. É uma data histórica”, afirmou.

Herman Benjamin explicou ainda que o mestrado inicia suas atividades com 20 professores – magistrados federais e estaduais – do corpo docente permanente (selecionados entre 199 candidatos inscritos) e 28 magistrados alunos brasileiros, além de dois vindos de outros países de língua portuguesa. Entre os professores, há três pós-doutores, dez doutores e sete mestres. As disciplinas serão disponibilizadas semestralmente, em aulas presenciais ou virtuais, concentradas em uma semana por mês.

Clique aqui para ver o edital do processo seletivo de candidatos.

Fonte Oficial: http://feedproxy.google.com/~r/STJNoticias/~3/b8S6yUFlBKQ/31082020-Enfam-inaugura-curso-pioneiro-de-mestrado-profissional.aspx.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Presidente do STJ presta homenagem aos 15 anos do Conselho Superior da Justiça do Trabalho – STJ

​”É um órgão que visa, em última análise, assegurar os direitos fundamentais e sociais de …