PJe criminal é usado pela 1ª vez em plantão nas comarcas de Assu e Parnamirim (RN)

Nos dias 21 e 22 de agosto, as comarcas de Assu e Parnamirim, ambas ligadas ao Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN), utilizaram o sistema do Processo Judicial Eletrônico (PJe) durante o plantão judicial para ocorrências na área criminal. Essa foi a primeira vez que o módulo do PJe criminal foi utilizado durante o plantão judicial. Em Parnamirim, o sistema foi usado para os feitos da área de violência contra a mulher, enquanto em Assu foi usado em todos os feitos do plantão criminal.

O juiz Marivaldo Dantas, titular da 3ª Vara de Assu e vice-coordenador do Grupo de Trabalho do PJe do TJRN, avaliou a experiência como muito proveitosa, ressaltando que os autos processuais ficam acessíveis para todos os envolvidos, como o Ministério Público, a Defensoria Pública e advogados, diretamente no sistema PJe, sem necessidade de envio por e-mail, resultando em uma maior agilidade para o plantão.

O PJe criminal estará totalmente implantado em todas as comarcas do Rio Grande do Norte até o dia 30 de outubro, conforme cronograma estabelecido pelo Tribunal de Justiça potiguar. Marivaldo Dantas destaca as vantagens do processo eletrônico frente aos feitos em papel. “O processo físico tem muito o que chamamos de ‘tempo morto do processo’”. Ele cita o tempo dispendido com o transporte dos autos entre as diversas instituições e partes do processo, assim como o tempo parado em prateleiras, além de procedimentos inerentes ao processo físico, como numeração e carimbo das folhas e juntada de documentos. “É muito tempo de espera”, resume. “Uma série de trabalhos burocráticos são reduzidos com o processo eletrônico e isso implica maior celeridade desses feitos.”

Fonte: TJRN

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/pje-criminal-e-usado-pela-1a-vez-em-plantao-nas-comarcas-de-assu-e-parnamirim-rn/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=pje-criminal-e-usado-pela-1a-vez-em-plantao-nas-comarcas-de-assu-e-parnamirim-rn.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Projeto no Espírito Santo ouve necessidades e esclarece direitos de pessoas presas

Durante o período de distanciamento social, a Vara de Execuções Penais de Vila Velha (ES) …