Comissão do Senado deve monitorar ações contra incêndios no Pantanal — Senado Notícias

O senador Wellington Fagundes (PL-MT) apresentou na quinta-feira (3) um requerimento no qual propõe a criação de uma comissão temporária externa para acompanhar as ações de enfrentamento a incêndios no Pantanal. A comissão seria composta por quatro membros titulares e teria prazo de 90 dias para realizar seus trabalhos.

De acordo com o requerimento, os senadores integrantes da comissão devem conferir os desdobramentos das queimadas nesse bioma, as providências para evitar novos focos de incêndio, a limpeza dos locais já atingidos, a proteção das populações diretamente atingidas e a transparência das atividades coordenadas pela Operação Pantanal, entre outras atividades.

Senador por Mato Grosso, um dos estados afetados pelos incêndios, Wellington Fagundes ressaltou que conhece a realidade do Pantanal.

— É triste a gente ver, reparar que, depois de 14 anos, nós temos hoje uma queimada a dizimar milhares de animais, que prejudica demais a nossa fauna e a nossa flora — lamentou ele, que também é médico veterinário.

Wellington convidou a senadora Soraya Thronicke (PSL) para participar da comissão externa. Ela representa Mato Grosso do Sul, outro estado atingido por essas queimadas.

— Para que a gente possa avaliar não só o que está acontecendo agora, mas principalmente o futuro do homem pantaneiro, da economia do Pantanal. Nós queremos fazer um trabalho conjunto do Mato Grosso com o Mato Grosso do Sul para oferecer às futuras gerações esse que é um patrimônio da humanidade preservado — declarou ele.  

O senador também atribuiu à legislação ambiental alguns dos atuais problemas enfrentados no Pantanal.

— O fazendeiro não tem direito nem de fazer a limpeza, não tem como fazer a plantação de uma pastagem para melhorar a alimentação bovina. E o que acontece? Essa é a realidade de hoje. Não houve o pisoteio necessário, não houve essa harmonia da convivência, a macega cresceu muito e hoje nós temos essa queimada. Cuiabá está tomada pela fumaça. Você não enxerga 50 metros à frente — disse.  

Conselho da Amazônia

Desde que se intensificaram as queimadas, a senadora Simone Tebet (MDB), também de Mato Grosso do Sul, promoveu uma campanha para que o Conselho Nacional da Amazônia Legal estenda sua atuação para o Pantanal. Em resposta, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, que comanda esse conselho, acenou com a promessa de fazer a gestão de preservação dos dois biomas.

— Apesar do estado de emergência decretado e do apoio do governo federal, se nós não incluirmos uma política pública de médio e longo prazo de proteção do Pantanal para esses períodos de seca, nós estaremos todos os anos vendo essa catástrofe ambiental nos estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso — alertou Simone.

O presidente da Comissão de Meio Ambiente do Senado (CMA), Fabiano Contarato (Rede-ES), apoia a iniciativa. “O Brasil precisa salvar o Pantanal! Esse bioma de imensa biodiversidade está sofrendo com grandes queimadas na maior estiagem dos últimos 50 anos. Assim, [com essa iniciativa] o Pantanal ganhará políticas específicas e mais efetivas de preservação e proteção”, declarou Contarato pela internet.

 

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte Oficial: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2020/09/04/comissao-do-senado-deve-monitorar-acoes-contra-incendios-no-pantanal.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Soraya lamenta morte do piloto durante combate a incêndios no Pantanal ​ — Senado Notícias

Durante sessão remota nesta quarta-feira (2), a senadora Soraya Thronicke (PSL-MS) lamentou a morte de …