MomentoArquivo: a quem compete definir o horário de funcionamento dos bancos? – STJ

​​A Secretaria de Documentação do Superior Tribunal de Justiça (STJ) lançou a 17ª edição do MomentoArquivo, projeto que tem o objetivo de preservar a memória do tribunal, divulgando julgamentos que marcaram sua história.

A nova publicação relata a disputa entre um banco e o município de Paranaguá (PR) pela definição do horário de funcionamento das instituições financeiras na localidade, após o então prefeito alterar a regra vigente por meio de decreto. Um banco com agência no município impetrou mandado de segurança no qual sustentou que o horário fixado estava em desacordo com as normas do Conselho Monetário Nacional e do Banco Central.

Contudo, tanto em primeira instância quanto no Tribunal de Justiça do Paraná, o banco teve o pedido negado. Coube ao STJ, no Recurso Especial 2.518, julgado em 1990, analisar qual ente federativo tinha competência sobre a matéria e definir se prevaleceria o interesse local ou o federal. A relatoria foi do ministro Ilmar Galvão.

Memória institu​​​cional

O MomentoArquivo – produzido pela Seção de Atendimento, Pesquisa e Difusão Documental –  integra o Arquivo.Cidadão, espaço no site do STJ que fomenta atividades de preservação, pesquisa e divulgação de documentos históricos. 

Publicado mensalmente, o informativo conta casos discutidos em processos custodiados pelo Arquivo Histórico do tribunal e que tiveram grande impacto social e jurisprudencial no país. 

Para chegar ao MomentoArquivo, acesse Institucional > Arquivo.Cidadão a partir do menu no alto da página.

Fonte Oficial: http://feedproxy.google.com/~r/STJNoticias/~3/8hXnLC3TxT8/09092020-MomentoArquivo-a-quem-compete-definir-o-horario-de-funcionamento-dos-bancos.aspx.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Modo como o crime é cometido pode justificar a decretação de prisão preventiva – STJ

​A Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) reafirmou o entendimento de que o …