Debate sobre nova Lei de Recuperação e Falência conta com a presença do ministro Luis Felipe Salomão – STJ

​O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Luis Felipe Salomão participou terça-feira (8) de um debate promovido pelo jornal O Globo e pela revista Justiça e Cidadania sobre a nova Lei de Recuperação e Falência (LRF), cujo projeto (PL 6.229/2005) foi aprovado pela Câmara dos Deputados em agosto.

Moderado pelos jornalistas Tiago Salles e Flávia Oliveira, o debate contou com a participação do deputado Hugo Leal (PSD-RJ) – autor da proposta aprovada –, do advogado Flávio Galdino e do administrador judicial Bruno Rezende.

O presidente do Senado, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), gravou mensagem para os participantes afirmando que a casa legislativa está empenhada em discutir e aprovar a proposta votada pelos deputados.

O ministro Salomão, presidente do grupo de trabalho criado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para sugerir medidas com vistas ao aperfeiçoamento da atuação do Judiciário nos processos de recuperação e falência, lembrou que logo após a aprovação da atual LRF (Lei 11.101/2005) já começaram as discussões sobre a sua modernização.

Ele elogiou a decisão do deputado Hugo Leal de ouvir todos os setores envolvidos para a aprovação de um texto moderno sobre a recuperação, com foco na preservação da empresa e considerando as mudanças ocorridas na sociedade nos últimos 15 anos.

Segundo o ministro, o aprofundamento da crise econômica, causado pela pandemia do novo coronavírus, traz um complicador para o debate.

“Vivemos um momento delicado. Estima-se que de 70% a 80% das empresas vão enfrentar dificuldades financeiras, e precisamos de ferramentas para sair da crise. O Judiciário precisa de elementos para enfrentar esses problemas e evitar prejuízos sociais”, comentou.

Salomão também falou sobre a atuação do grupo de trabalho criado pelo CNJ, que aprovou recomendações para orientar o trabalho dos Tribunais de Justiça nos casos de recuperação judicial e falência – por exemplo, o uso da mediação como ferramenta de apoio à recuperação econômica.

Eleições ​​2020

Nesta quarta-feira (9), Luis Felipe Salomão foi entrevistado pela jornalista Mônica Bergamo e pelo cientista político Antonio Lavareda no programa Ponto a Ponto, do canal de notícias BandNews, sobre os preparativos para as eleições municipais de 2020.

O ministro é membro efetivo do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e, neste mês, foi eleito corregedor-geral da Justiça Eleitoral. Ele disse que o tribunal está empenhado em tornar o processo eleitoral seguro em meio à pandemia, para que o eleitor não tenha receio de votar.

“A Justiça Eleitoral tem credibilidade junto ao público, e temos uma instituição reconhecida para realizar as eleições. A democracia exige isso. Temos que enfrentar esse momento, que é atípico”, comentou o ministro, mencionando uma pesquisa de opinião que revelou que a Justiça Eleitoral tem alta credibilidade entre os brasileiros.

Ele afirmou que o TSE está acompanhando passo a passo a evolução da pandemia e respondendo diariamente a questionamentos de partidos e candidatos sobre a realização do pleito. Segundo o ministro, com o fim das coligações partidárias, a expectativa é de um recorde no número de candidaturas, com mais de 900 mil brasileiros concorrendo a algum cargo nas eleições de 2020.

Fonte Oficial: http://feedproxy.google.com/~r/STJNoticias/~3/0-pvaOAPRyA/10092020-Debate-sobre-nova-Lei-de-Recuperacao-e-Falencia-conta-com-a-presenca-do-ministro-Luis-Felipe-Salomao.aspx.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Quarta Turma terá sessão extraordinária no dia 10 – STJ

​​​A Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) realizará uma sessão extraordinária no dia …