Empregado da Rede Sarah tem pedido de reintegração negado

Um auxiliar de segurança da Rede Sarah de Hospitais de Reabilitação teve pedido de reintegração negado após ser dispensado sem justa causa. A Quarta Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST) alegou que o hospital em questão é pessoa jurídica de direito privado, presta serviço social autônomo e contrata empregados com base na legislação trabalhista e, por isso, não está submetido à regra constitucional que assegura estabilidade aos servidores públicos. Entenda o caso com o repórter Daniel Vasques.

Fonte Oficial: TST.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

TST mantém condenação de produtora de grãos a pagar multa milionária a ex-gerente 

A sanção está prevista em cláusula penal de estabilidade firmada entre o ex-sócio e a …