Acesso ao PJeCor é tema de treinamento para representantes de cartórios no Acre

A Corregedoria-Geral da Justiça (Coger) do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC) promoveu na sexta-feira (25/9) treinamento aos delegatários, interinos e colaboradores das serventias extrajudiciais sobre o sistema PJeCor. Desenvolvido pelo Conselho Nacional da Justiça (CNJ), o sistema tem a finalidade de unificar a tramitação de processos e procedimentos de corregedoria em todos os tribunais brasileiros.

O treinamento do uso do sistema foi feito pelo gerente de Serviços Auxiliares (Geaux), Ronaleudo Santos, que apresentou as funcionalidades e a diferença entre o PJeCor e o Sistema Eletrônico de Informações (SEI), que até então era utilizado para a manifestação ou juntada de documentos para comunicação entre as unidades e a Coger. Ao abrir a atividade, o corregedor-geral da Justiça, desembargador Júnior Alberto, enfatizou que o novo sistema traz maior transparência, eficiência, economia e agilidade no processo.

Ele explicou que a Coger concluiu a migração de todos os processos das classes obrigatórias constantes do Provimento CNJ nº 102/2020 (representações por excesso de prazo e os procedimentos de natureza disciplinar) e está dando continuidade aos trabalhos de migração de todos processos das demais classes existentes no SEI. “O PJeCor, a partir de agora, é o sistema oficial utilizado por esta Corregedoria-Geral de Justiça. Ele deve ser usado para a abertura de novos processos com pedidos dirigidos a este Órgão, pois se houver a abertura de processo novo no SEI, este será devolvido pela GEAUX à unidade de origem, sem apreciação por parte do corregedor.”

Segundo o desembargador-corregedor, uma vez que o processo tenha sido migrado para o sistema PJeCor, com certidão lançada nos autos com a indicação de novo número, não será mais permitida a realização de manifestação ou juntada de documentos no processo existente no SEI, devendo, assim ser realizada a manifestação no sistema PJeCor no processo indicado na respectiva certidão.

Juiz-auxiliar da Coger, Leandro Gross destacou sobre a excelência necessária nos serviços por parte das Serventias Extrajudiciais, o aperfeiçoamento nas atividades como uma forma de melhorar a prestação do serviço, inclusive, ao cidadão que será o maior beneficiado. “A pandemia trouxe muitas coisas ruins em todo o mundo, mas trouxe coisa boa, que é o maior uso da tecnologia para o melhoramento dos nossos serviços. Esse processo é uma inovação, por determinação do CNJ, e só temos a ganhar.”

Os participantes foram orientados sobre o acesso ao sistema; cadastro de processo e recebimento de notificações e envio de processos pelo PJeCor. A atividade foi transmitida por videoconferência, na plataforma Cisco Webex, e teve o gerente de Fiscalização Extrajudicial, Rodrigo dos Santos, na mediação.

Na prática, a adoção do PJeCor possibilitará robustecer as atividades de controle desenvolvidas pelos órgãos correcionais, possibilitando tanto à Coger quanto aos magistrados, um melhor acompanhamento e gerenciamento dos feitos administrativos, ciência de decisões emanadas pelo corregedor-geral da Justiça, comunicação direta com dirigentes de cartórios, entre outras funcionalidades.

Fonte: TJAC

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/acesso-ao-pjecor-e-tema-de-treinamento-para-representantes-de-cartorios-no-acre/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=acesso-ao-pjecor-e-tema-de-treinamento-para-representantes-de-cartorios-no-acre.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

TJRJ é o primeiro tribunal a implantar Juízo 100% Digital

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) é a primeira Corte brasileira a …