Propriedade intelectual: Brasil participa de base mundial de decisões judiciais

O Brasil integra a nova base mundial de consulta sobre decisões judiciais e jurisprudência sobre o tema propriedade intelectual. A WIPO Lex foi lançada em 24 de setembro pela Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI/WIPO, na sigla em inglês), agência especializada da ONU, e já conta com mais de 400 processos cadastrados, dos quais 36 são do Poder Judiciário brasileiro.

Acesse e conheça a WIPO Lex

O acordo de cooperação firmado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) com a OMPI possibilita que o Judiciário brasileiro inclua na base mundial acórdãos e sentenças que sejam relevantes. A inciativa permite que juízes, advogados, formuladores de políticas públicas, acadêmicos e outros operadores do Direito realizem maior intercâmbio de experiências e tenham acesso à jurisprudência sobre propriedade intelectual e a notas sobre o funcionamento dos sistemas de Justiça de vários países, sejam em tribunais generalistas, especializados ou entidades administrativas que desempenham funções semelhantes às judiciais.

O diretor geral da OMPI, Francis Gurry, destacou a importância da participação do CNJ na fase inicial do projeto inovador que, além do Brasil, conta ainda com Austrália, Chile, China, Costa Rica, Jamaica, México, Peru, República da Coréia e Espanha. “O WIPO Lex fornecerá um importante suporte para a adjudicação de disputas de PI em um mundo globalizado onde os tribunais e formuladores de políticas, desafiados pela natureza dinâmica da disciplina de propriedade intelectual, podem usar as informações obtidas de sentenças estrangeiras e prática judicial para buscas por soluções judiciais e políticas domésticas.”

Plataforma

Os documentos disponíveis na plataforma vão fortalecer análises e raciocínios de tribunais dos diferentes países-membros, bem como discernir abordagens nacionais convergentes e contrastantes para questões comuns de tema propriedade intelectual. Na base de dados, é possível encontrar referências cruzadas a leis nacionais e tratados internacionais mencionados na decisão.

Além disso, traz dados bibliográficos pesquisáveis para todas as sentenças indexadas, incluindo assunto, autoridade emissora, tipo de processo, lei aplicável, palavras-chave e resumo, bem como o texto completo da sentença, no idioma original. A plataforma está disponível em inglês, árabe, chinês, francês, russo e espanhol.

Alex Rodrigues
Agência CNJ de Notícias

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/propriedade-intelectual-brasil-participa-de-base-mundial-de-decisoes-judiciais/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=propriedade-intelectual-brasil-participa-de-base-mundial-de-decisoes-judiciais.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Varas do Trabalho de Salvador (BA) retomam audiências presenciais a partir de 3/11

Todas as 39 Varas do Trabalho de Salvador (BA) entrarão na Fase Intermediária 1 de …