Aulas nas escolas particulares do ES continuam suspensas, decide Justiça do Trabalho

Em decisão de tutela antecipada, a juíza titular da 13ª Vara do Trabalho de Vitória (ES), Alzenir Bollesi de Pla Loeffler, determinou a suspensão do retorno às aulas presenciais nos estabelecimentos de ensino infantil, fundamental e médio particulares no Espírito Santo. A retomada das atividades escolares estava marcada para segunda-feira (5/10).

A decisão atende ao pedido do Sindicato dos Professores do estado, em ação civil coletiva contra o governo estadual e o Sindicato das Empresas Particulares de Ensino. O sindicato laboral alega risco de contaminação por Covid-19 e alerta para o fato de que crianças e adolescentes podem ser assintomáticos.

A magistrada entende ser necessária a retomada das atividades escolares,  mas ressalta que “não foi provado, até o momento, que todas as medidas tomadas tiveram o envolvimento das diversas classes envolvidas: professores, representantes dos alunos, demais trabalhadores da rede de ensino”. A juíza alerta para o risco de aglomeração de pessoas, apesar da limitação de dez alunos por sala, no caso da educação infantil. “Pode haver aglomerações nos horários de entrada e saída dos alunos e nos intervalos.”

“Quem fiscalizará? A própria instituição de ensino ou um conselho formado por vários representantes, ou o poder público? Como isso ocorrerá?”, questiona a magistrada, em sua decisão. “Concluiu-se, portanto, que o retorno às aulas presenciais, na forma determinada pelo Decreto e Portaria, sem comprovação de reuniões, serviços de conscientização e até treinamento dos professores, realizados bem antes do retorno às atividades, trará consequências não somente para os envolvidos como para toda a sociedade.”

Em caso de descumprimento da decisão, a multa é de R$ 50 mil por dia, limitada a R$ 500 mil por estabelecimento. Foi designada audiência para tentativa de conciliação entre as partes, no dia 5/10, às 13h, por videoconferência.

ACC 0000789-63.2020.5.17.0013

Fonte: TRT17

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/aulas-nas-escolas-particulares-do-es-continuam-suspensas-decide-justica-do-trabalho/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=aulas-nas-escolas-particulares-do-es-continuam-suspensas-decide-justica-do-trabalho.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Varas do Trabalho de Salvador (BA) retomam audiências presenciais a partir de 3/11

Todas as 39 Varas do Trabalho de Salvador (BA) entrarão na Fase Intermediária 1 de …