Pesquisa de Satisfação avalia qualidade dos serviços prestados pelo TST

Questionário pode ser respondido de forma on-line até 30 de novembro

Banner da Pesquisa de Satisfação TST 2020

Banner da Pesquisa de Satisfação TST 2020

05/10/20 – O Tribunal Superior do Trabalho realiza, a partir desta segunda-feira, a Pesquisa de Satisfação do TST 2020, aberta a advogados, partes de processos, membros do Ministério Público, estudantes de Direito e público em geral. O questionário, disponível na página da Ouvidoria, pode ser respondido por meio da  internet até 30/11. O levantamento visa à manutenção e ao aperfeiçoamento dos serviços prestados.

São 16 perguntas para apurar a percepção das pessoas sobre o atendimento realizado pelo tribunal. Entre os pontos avaliados estão o tempo e a cordialidade no atendimento, as condições das instalações físicas do edifício-sede do TST, em Brasília, e a sinalização do local. 

O questionário on-line está disponível no site do TST e pode ser respondido até o dia 30/11. As respostas podem ser enviadas de forma anônima, e os participantes também podem encaminhar críticas, elogios e sugestões ao Tribunal.

Instalações

A Pesquisa de Satisfação 2019 foi respondida por 8.249, das quais 78,3% disseram estar satisfeitas com a limpeza dos ambientes, a facilidade de localização e a segurança interna. Em relação ao atendimento, 74,5% relataram que é rápido, cordial e atencioso. A Pesquisa de Jurisprudência foi considerada satisfatória para 71% dos entrevistados

Dúvidas sobre a pesquisa de satisfação podem ser esclarecidas pelo e-mail pesquisadesatisfacaosocial@tst.jus.br.

(JS/AB/CF)

 

$(‘#lightbox-fmtm_ .slider-gallery-wrapper img’).hover(
function() {
const $text=$($($(this).parent()).next());
$text.hasClass(‘inside-description’) && $text.fadeTo( “slow” , 0);
}, function() {
const $text=$($($(this).parent()).next());
$text.hasClass(‘inside-description’) && $text.fadeTo( “slow” , 1);
}
);
$(document).ready(function() {
var fmtm_autoplaying=false;
var fmtm_showingLightbox=false;
const fmtm_playPauseControllers=”#slider-fmtm_-playpause, #slider-fmtm_-lightbox-playpause”;
$(“#slider-fmtm_”).slick({
slidesToShow: 1,
slidesToScroll: 1,
autoplay: fmtm_autoplaying,
swipeToSlide: false,
centerMode: false,
autoplaySpeed: 3000,
focusOnSelect: true,
prevArrow:
‘,
nextArrow:
‘,
centerPadding: “60px”,
responsive: [
{
breakpoint: 767.98,
settings: {
slidesToShow: 3,
adaptiveHeight: true
}
}
] });
$(“#slider-fmtm_”).slickLightbox({
src: ‘src’,
itemSelector: ‘.galery-image .multimidia-wrapper img’,
caption:’caption’
});
});

Fonte Oficial: TST.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Revista destaca que mudança no cálculo de abono da ECT não é considerada lesiva

(0:57) No Revista desta semana, veja o porquê de o Detran-DF ter sido condenado a …