Eleições: Tribunal Eleitoral de TO solicita força federal para atuar em aldeias indígenas

Durante a 77ª sessão ordinária, realizada na terça-feira (6/10), o Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins (TRE-TO) deferiu a solicitação de envio ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de requisição de Força Pública Federal para atuar nas seções eleitorais localizadas em aldeias indígenas nos municípios de Goiatins, Pedro Afonso e Tocantínia. Também foi aprovada a Resolução nº 489/2020, que trata da publicação da relação de julgamentos dos processos relativos às Eleições Municipais 2020.

A Corte deferiu o pedido de requisição de força federal da 5ª ZE de Miracema para atuar no município de Tocantínia e nas cinco seções instaladas nas aldeias indígenas Xerente – aldeia Rio Sono, Porteira, Brejo Comprido e Funil (PJe nº 0600275-40.2020). Já em Goiatins (32ª ZE), o pedido contempla as seções eleitorais localizadas nas aldeias Rio Vermelho, Pedra Branca e Cachoeira (PJe nº 0600035-51.2020). Também foi aprovada a solicitação da 23ª ZE de Pedro Afonso (23ª ZE) para atuação das forças de segurança na seção eleitoral instalada na Aldeia Lajeado (PJe nº 0600223-44.2020).

Os pedidos deferidos pelo TRE-TO serão encaminhados para análise do TSE.  Aprovadas, as solicitações são enviadas ao Ministério da Defesa, órgão responsável pelo planejamento e execução das ações implementadas pelas Forças Armadas. O uso da Força Federal em uma eleição busca assegurar o livre exercício do voto, bem como a normalidade da votação e da apuração dos resultados nos municípios em que a segurança pública necessita de reforço.

Integrada por militares das Forças Armadas, a atuação da Força Federal nas eleições está prevista no Código Eleitoral (Lei nº 4.737/1965). O artigo 23 afirma que compete privativamente ao TSE, entre outras atribuições, requisitar a Força Federal necessária ao cumprimento da lei, de suas próprias decisões ou das decisões dos Tribunais Regionais que solicitarem, bem como para garantir a votação e a apuração de uma eleição.

Processos

Ainda durante a sessão, a Corte aprovou a Resolução nº 489/2020, que dispõe sobre a publicação da relação de julgamentos dos processos relativos às eleições municipais de 2020. Conforme o documento, os recursos eleitorais e ações relativas ao pleito 2020, no período de 29 de setembro a 18 de dezembro, serão incluídos em relação de julgamento a ser publicada na página da internet do Tribunal, em até duas horas antes da sessão correspondente. Este prazo não se aplica aos processos relativos aos registros de candidatura.

Ainda conforme a Resolução, será garantido aos advogados, mediante inscrição prévia, o acesso ao ambiente virtual de julgamento para, remotamente, fazerem a sustentação oral e esclarecerem eventuais questões de fato.

O Tribunal votou ainda pela designação do juiz Jean Fernandes Barbosa para a titularidade da 17ª Zona Eleitoral, com sede em Taguatinga/TO; e do juiz Fábio Costa Gonzaga para atuar como Juiz Eleitoral Substituto, com marco inicial do biênio em 6 de outubro de 2020.

Neste mês de outubro, o Pleno se reunirá nos dias 8, 13, 19, 20, 22, 26 e 29/10, com transmissão pelo canal do TRE-TO no YouTube.

Fonte: TRE-TO

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/eleicoes-tribunal-eleitoral-de-to-solicita-forca-federal-para-atuar-em-aldeias-indigenas/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=eleicoes-tribunal-eleitoral-de-to-solicita-forca-federal-para-atuar-em-aldeias-indigenas.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Acordo facilita afastamentos de funcionários da saúde da UFMS em caso de Covid-19

O Gabinete da Conciliação do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3) homologou, na última …