Judiciário acelera execução de processos com o Sisbajud

“O Sisbajud é mais do que um novo produto. É um passo que reforça a celeridade processual”, destacou nessa quinta-feira (8/10) o conselheiro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e presidente do Comitê Gestor dos Cadastros Nacionais, Marcus Vinicius Jardim Rodrigues. Ele participou da abertura do webinário “Sistema de Busca de Ativos do Poder Judiciário – Sisbajud: Principais Inovações”, organizado pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) e que reuniu mais de 1,6 mil servidores da Justiça.

O Sisbajud começou a funcionar em agosto e substitui o Bacenjud. Ele interliga a Justiça às instituições financeiras, agilizando a solicitação de informações e o envio de ordens judiciais ao Sistema Financeiro Nacional, via internet. O sistema permite o envio eletrônico de ordens de bloqueio e requisição de informações básicas de cadastro e saldo, além de requisitar informações detalhadas sobre extratos em conta corrente, fatura do cartão de crédito e operações de câmbio, reduzindo o prazo de tramitação dos processos e aumentando a efetividade das decisões judiciais.

Na opinião do coordenador da Comissão Nacional de Efetividade da Execução Trabalhista, ministro do TST Claudio Brandão, o Sisbajud “é um grande avanço e hoje é um dia simbólico em direção a efetividade das decisões judiciais, ainda mais agora que o Judiciário passa a ser protagonista do sistema”. Já o corregedor-geral da Justiça do Trabalho, ministro Aloysio Corrêa da Veiga, lembrou que, apesar de ainda ser um gargalo, muito já foi feito para aprimorar a atividade da execução fiscal e que a nova ferramenta traz a concretude do direito. “Não podemos mais conviver com a história de que só os herdeiros recebem os direitos.”

Novidades

O sistema começou a ser desenvolvido em dezembro de 2019, após acordo de cooperação técnica entre o CNJ e o Banco Central e a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional. Com arquitetura de sistema mais moderna, o Sisbajud traz novidades como a reiteração automática de ordens de bloqueio (conhecida como “teimosinha”) e o agendamento para bloqueio e transferência dos ativos.

De acordo com a juíza auxiliar do CNJ Dayse Starling, uma das responsáveis pela implantação do novo sistema e quem apresentou todas as mudanças tecnológicas durante o webinário, houve uma necessidade de substituição do Bacenjud pois o mesmo já não suportava mais as modificações a atualizações que foram sendo feitas ao longo dos anos.

Paula Andrade
Agência CNJ de Notícias

Reveja o webinário no canal do TST no YouTube

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/judiciario-acelera-execucao-de-processos-com-o-sisbajud/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=judiciario-acelera-execucao-de-processos-com-o-sisbajud.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

CNJ dá início às aulas virtuais do curso Marco Legal da Primeira Infância

Com o objetivo de alcançar melhores resultados na realização de atividades voltadas à primeira infância, …